ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  02    CAMPO GRANDE 16º

Meio Ambiente

Ibama apreende orquídeas nativas enviadas em caixa dos Correios

Por Vanda Escalante | 07/07/2011 16:20

Foi a quarta apreensão em dois meses e o destinatário será multado em mais de R$ 4 mil.

Treze espécimes foram apreendidos pelo Ibama.
Treze espécimes foram apreendidos pelo Ibama.

Fiscais da Divisão de Proteção Ambiental do Ibama em Mato Grosso do Sul apreenderam 13 espécies de orquídea e uma bromélia que estavam sendo enviadas ilegalmente numa caixa através dos Correios, de Caracol, no sul do Estado, para Alfenas, em Minas Gerais.

As orquídeas e a bromélia foram retiradas ilegalmente da natureza e estavam sendo enviadas sem o DOF (Documento de Origem Florestal), de porte obrigatório para o transporte de todo e qualquer produto de origem florestal. A fiscalização vai multar o destinatário do produto porque o remetente não foi identificado. A multa é de R$ 300 por cada exemplar, o que totaliza R$ 4,2 mil.

De acordo com a analista ambiental do Ibama em Mato Grosso do Sul, Joanice Battilani, que fez o laudo da apreensão, são sete as espécies identificadas no lote, e todas são matrizes originárias de Mato Grosso do Sul.

O Brasil tem 3,5 mil espécies de orquídeas identificadas. Todas essas espécies estão listadas no Anexo II da CITIES (Convenção Internacional das Espécies Ameaçadas de Extinção da Flora e Fauna),da qual o Brasil é signatário.

Esta é a quarta apreensão realizada pelo Ibama em Mato Grosso do Sul nos últimos dois meses, todas feitas através de remessas via Correios. Assim que chegam à unidade central dos Correios em Campo Grande, o escritório local aciona o Ibama para efetuar a apreensão das plantas.

As quatro apreensões totalizam 56 mudas de orquídeas de 23 espécies, principalmente as do gênero Catteya, como a C. walkiriana e a C. nobilior, de ocorrência natural no cerrado. As multas das quatro apreensões somam R$ 16,8 mil.

Todas as orquídeas apreendidas estão sob a guarda e fiança da Divisão de Proteção Ambiental do Ibama em Campo Grande que deverá doá-las à Universidade Federal assim que forem concluídos os processos pelos crimes ambientais.

Orquidário - Esta semana analistas ambientais do Ibama também vistoriaram o orquidário Gnomo em Campo Grande. Este é o único orquidário autorizado pelo Ibama em Mato Grosso do Sul a exportar orquídeas cultivadas. O viveiro possui 70 mil mudas em produção e reproduz sete espécies ameaçadas de extinção.

Para os analistas do Ibama, o trabalho autorizado e dentro da legalidade contribui para diminuir a pressão sobre a flora nativa e diminui os riscos de biopirataria e envio ilegal de material genético de plantas e animais brasileiros para o exterior.