ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, TERÇA  22    CAMPO GRANDE 20º

Meio Ambiente

Chamas devastaram 1,4 milhão de hectares e continuam se alastrando no Pantanal

Somente nas últimas 24h, foram registrados 238 focos de incêndio na região pantaneira

Por Adriano Fernandes | 11/08/2020 23:33
Paisagem pantaneira completamente coberta com a curtina de fumaça. (Foto: Diário Corumbaense)
Paisagem pantaneira completamente coberta com a curtina de fumaça. (Foto: Diário Corumbaense)

Levantamento do Ibama aponta que 1,4 milhão de hectares de vegetação já foram destruídos pelos incêndios no Pantanal de Mato Grosso do Sul. Os incêndios, que comprometem não só a fauna como a flora da região, também seguem mudando a paisagem por Corumbá, cidade conhecida como o “portal” da maior planície alagada do mundo.

Dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) apontam que a cidade tem 3.805 focos de queimadas. Só no mês de agosto, já são 1.070 focos. Nas últimas 24h, foram 238. Nesta terça-feira (11), conforme o Diário Corumbaense, onze militares do Corpo de Bombeiros atuaram no combate às margens do Canal do Tamengo.

Densa camada de fumaça na região de Puerto Quijarro. (Foto: Diário Corumbaense)
Densa camada de fumaça na região de Puerto Quijarro. (Foto: Diário Corumbaense)

No Pantanal, regiões ao longo da Estrada Parque, são algumas das que sofrem com os incêndios florestais. Por conta das chamas, Corumbá também continua encoberta por uma densa camada de fumaça que é intensificada pela queimadas urbanas.

Outro fator que contribui para a intensa fumaça na região, são os focos de incêndios em território boliviano. As Cidades de Puerto Quijarro e Puerto Suárez, também enfrentam o mesmo problema com incêndios.

Por lá, os focos atingiram o Parque Otuquis e também há registros de queimadas na estrada Bioceânica, que liga as duas cidades fronteiriças. Bombeiros, voluntários e guardas do parque fazem o combate aos focos de queimadas nessa região do país vizinho, bem como na região de fronteira com Corumbá.