ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEXTA  21    CAMPO GRANDE 24º

Meio Ambiente

Moradores denunciam envenenamento de árvores no Cabreúva

Secretaria Municipal de Meio Ambiente irá encaminhar auditor fiscal para verificar denúncia

Por Ana Lívia Tavares | 03/11/2021 11:56


Uma moradora do Bairro Cabreúva, em Campo Grande, vai procurar a Decat (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista), nesta quarta-feira (3), para denunciar o envenenamento de duas árvores, na Rua João Azuaga.

Segundo a chefe de cozinha, Juliana Medeiros, de 43 anos, as árvores estão no cruzamento com a Rua 11 de Outubro, na calçada da casa dos pais dela, um casal de idosos, que mora no local há mais de 20 anos. "Essas árvores são centenárias, ninguém nunca fez nada com elas, apenas cuidou. No sábado (30) de manhã, minha mãe foi ao serviço e percebeu que tinham umas marcas nas árvores, mas nem desconfiou. Quando ela voltou, viu que tinham usado uma furadeira para furar as árvores e colocar veneno", relata a Juliana.

Produto de cor azulada foi aplicado no interior do tronco das árvores. (Foto: Direto das Ruas)
Produto de cor azulada foi aplicado no interior do tronco das árvores. (Foto: Direto das Ruas)

A pessoa que teria envenenado as árvores agiu com pressa, espalhando o produto de cor azulada pela calçada. Nas imagens, é possível notar vários buracos nos troncos, bem próximos as raízes das árvores.

Depois que os moradores notaram o envenenamento, Juliana divulgou um vídeo nas redes sociais e se uniu a vizinhos para denunciar o caso a prefeitura e a polícia. "Estou denunciando para mostrar o que fizeram, porque meus pais são idosos estão com problema de saúde e não podem arcar com a injustiça e maldade de outras pessoas. Eles não têm condições financeiras de levar uma multa por causa dos outros, sendo que sempre cuidamos dessas árvores para não termos problema com a prefeitura", afirma a chefe de cozinha.

Uma outra moradora do Bairro Cabreúva também usou as redes sociais para denunciar o envenenamento. "Tomei conhecimento desse crime ambiental através de vários moradores da região, mas somente hoje, pude ver de perto esse crime bárbaro e confesso que fiquei indignada com tamanha crueldade. Quero acreditar que os profissionais da Semadur e demais órgãos competentes vão avaliar essas duas árvores", diz publicação.

Ao Campo Grande News, a Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana) informou que será encaminhado um auditor fiscal no local para vistoriar a árvore citada. "Por ser considerado um crime ambiental, competirá a Decat as investigações que o caso requer", esclarece nota retorno da assessoria.

A moradora, Juliana Mederios, afirmou a reportagem que irá a Decat (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista) ainda hoje para formalizar a denúncia de crime ambiental.

 Crime ambiental -  De acordo com a Lei Federal nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, é crime “destruir, danificar, lesar ou maltratar, por qualquer modo ou meio, plantas de ornamentação de logradouros públicos ou em propriedade privada alheia”. As penas previstas para quem for flagrado cometendo o crime variam de multa, até detenção de três meses a um ano.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário