ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 32º

Meio Ambiente

'Oportunistas', quatis fazem 'lanchinho' em lixeira no Parque dos Poderes

Por Fernando da Mata | 02/03/2012 19:10

Saída para comer lixo pode prejudicar dieta dos animais e o equilíbrio do ecossistema na reserva, segundo biólogo

Quatis em lixeira no Parque dos Poderes
Quatis em lixeira no Parque dos Poderes

Um bando de quatis foi flagrado em uma lixeira de uma das secretarias estaduais no Parque dos Poderes, em Campo Grande, nesta sexta-feira (2). Os bichos estavam fuçando o lixo em busca de comida.

O material estava por cima da tampa do compartimento, colocada para impedir que animais da reserva do Parque Estadual do Prosa se alimentem de lixo.

O biólogo do Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), Elson Borges, caracterizou os quatis como animais “muito oportunistas”.

“Enquanto tiver facilidade de comida, eles aproveitam. O problema é que a comida encontrada nos lixos interfere na qualidade de vida dos quatis. Eles ficam gordos demais”, alertou o biólogo.

O lanche inadequado desequilibra a dieta e também o ecossistema no Parque do Prosa, de acordo com Borges.

“Com comida no lixo, os quatis deixam a reserva, onde se alimentam de caças e frutas, além de dispersarem as sementes das frutas. Isso prejudica o controle populacional das presas e a distribuição das sementes. Além disso, eles acabam carregando lixo para dentro da reserva. Ou seja, há um desequilíbrio total”, explicou.

O biólogo ressaltou ainda que, no lixo, não é só a comida ‘ruim’ o perigo. Materiais como plástico podem deixar os bichos engasgados e até matá-los.

O Parque do Prosa é uma área de preservação estadual. Segundo a assessoria de imprensa do Governo, não há possibilidade de retirar os quatis da reserva e cercas não podem impedi-los de sair, já que eles podem escalar e pular com facilidade.

Sobre os sacos por cima da lixeira, a assessoria informou que provavelmente os funcionários já estavam passando para recolher o material e que as lixeiras devem ficar fechadas.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário