ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 25º

Meio Ambiente

Reserva no meio da cidade é mau exemplo sobre proteção aos animais

Por Elverson Cardozo | 05/06/2012 08:10

No Parque dos Poderes, encravado em uma área de cerrado, bichos são mortos atropelados frequentemente, sem que solução definitiva seja implantada

Parque estadual do Prosa é cercado com arames lisos e farpados, mas animais conseguem passar facilmente e se arriscar na pista. (Foto: Elverson Cardozo)
Parque estadual do Prosa é cercado com arames lisos e farpados, mas animais conseguem passar facilmente e se arriscar na pista. (Foto: Elverson Cardozo)
Presidência do parque informou que a área recebeu manuteção há 25 dias. (Foto: Elverson Cardozo)
Presidência do parque informou que a área recebeu manuteção há 25 dias. (Foto: Elverson Cardozo)

Não é de hoje que se têm notícias de animais silvestres atropelados nas vias urbanas das grandes cidades, mas o problema não está só nas rodovias. O Parque estadual do Prosa, reserva ecológica que fica no Parque dos Poderes, em Campo Grande, é um dos locais que registra o maior índice de acidentes dessa natureza, segundo o Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres). No meio da cidade e no centro de poder, a reserva é, neste Dia Mundial do Meio Ambiente, um exemplo negativo do tratamento aos animais.

Cenas de animais atropelados são frequentes, algumas comoventes, como a de um quati resgatando o filhote atropelado.

Um dos motivos apontados por quem trabalha ou mora na região é o tipo de cercamento - em arames farpados e fios lisos - que a área recebeu, a má conservação que permite a saída dos animais e, além disso, a falta de conscientização de muitos condutores.

Funcionário há 14 anos de um posto de gasolina localizado na rua dos Poetas, o frentista Estevão Antonio, de 35 anos, já cansou de ver a mesma situação se repetir.

A última vez, contou, foi há cerca de 4 meses. Na tentativa de não atropelar um bando de quatis, a motorista de um carro freou bruscamente e acabou sendo atingida por um motociclista.

Cercar a área com telas mais finas, para evitar que os animais cheguem à pista, é um das soluções apontadas pelo frentista para evitar, pelo menos, que animais menores saiam para via. Mas isolar a reserva, afirma, não seria o melhor caminho. “Os animais também tem o direito de ir e vir”, declarou.

“Os animais também tem o direito de ir e vir”, disse o frentista Estevão Antonio.
“Os animais também tem o direito de ir e vir”, disse o frentista Estevão Antonio.

Para o amigo, também frentista, Giovane Fernandes, de 30 anos, a solução mais viável é a conscientização dos motoristas que passam pela localidade, mas também é preciso manter a conservação do local.

Dados do Cras apontam que o número de atropelamentos na reserva do Parque Estadual do Prosa, que tem uma área de aproximadamente 135 hectares, só fica atrás da reserva ambiental da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul).

Por mês, o centro de reabilitação recebe, em média, 60 animais silvestres atropelados nas vias de Campo Grande. As maiorias dos acidentes acontecem nas saídas da cidade.

A Prefeitura do parque informou que o cercamento da área segue os padrões estabelecidos pelo plano de manejo, onde constam as normas e procedimentos para gerenciamento do parque.

O órgão informou ainda que não há como controlar os animais dentro da reserva. A possibilidade de instalação de telas não foi considerada porque o cercamento atual atende as especificações estabelecidas, segundo informado.

Com relação à manutenção da área, a presidência da entidade informou que os últimos reparos foram feitos há 25 dias e ocorrem sempre que necessários.

Semana do meio ambiente - Em comemoração à semana do meio ambiente, o núcleo de educação da PMA (Polícia Militar Ambiental) iniciou nesta segunda-feira (4), oficinas temáticas, palestras e outras atividades relacionadas ao tema, incluindo a conscientização sobre os animais que circulam pelas cidades.

Os trabalhos ocorrem em parceria com as prefeituras de Sidrolândia, Ribas do Rio Pardo, Rio Verde e a empresa Energias do Brasil. Ao todo, cerca de 2 mil alunos devem ser atendidos. No ginásio de esportes de Sidrolândia as atividades serão desenvolvidas em forma de oficinas.

Quati resgata filhote atropelado no Parque dos Poderes, cena que comoveu. (Foto: Repórter News)
Quati resgata filhote atropelado no Parque dos Poderes, cena que comoveu. (Foto: Repórter News)

Em Ribas do Rio Pardo, crianças do projeto Florestinha em parceria com policiais ambientais realizam palestras sobre águas, desmatamento e pesca predatória.

Haverá ainda apresentação de animas taxidermizados (empalhados), com palestra sobre a fauana e um teatro de fantoches. As atividades seguem até quarta-feira (6).

A prefeitura de Campo Grande vai comemorar o dia mundial do meio ambiente com uma mostra de soluções sustentáveis. A 4ª edição do evento começa nesta terça-feira (5), às 18h30, no Espaço Golden Class, em Campo Grande.

Empresas, instituições, órgãos públicos, além de empreendedores levam ao evento soluções sustentáveis nos segmentos da construção, decoração e até artesanatos. Oficinas, mini-cursos, palestras e atividades culturais fazem parte da programação.

Oficinas, mini-cursos, palestras e atividades culturais fazem parte da programação. (Foto: Divulgação)
Oficinas, mini-cursos, palestras e atividades culturais fazem parte da programação. (Foto: Divulgação)
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário