A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

15/09/2016 10:00

“Conheço Dourados e sei do que a cidade precisa”, diz Renato Câmara

Candidato do PMDB promete aumentar número de unidades de saúde e diz que eficiência na administração vai garantir dinheiro suficiente para ampliar atendimento nos bairros

Helio de Freitas, de Dourados
Renato Câmara, candidato a prefeito de Dourados pelo PMDB (Foto: Divulgação)Renato Câmara, candidato a prefeito de Dourados pelo PMDB (Foto: Divulgação)

Visto por alguns como “aventureiro” por ter feito história política em Ivinhema, onde administrou por dois mandatos, o deputado estadual Renato Câmara (PMDB) fez a lição de casa candidatar a prefeito de Dourados. “Conheço Dourados na sua intimidade e fixei meu domicílio eleitoral aqui. Minha história na política me trouxe até aqui para ser candidato a prefeito”, disse ele ao Campo Grande News.

Renato disse que antes de ser candidato desenvolveu um projeto nos bairros da segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul para conhecer as principais demandas da população e afirma: “Dourados não está funcionando como deveria”.

Atendimento básico de saúde – Entre suas principais propostas de governo, o peemedebista promete ampliar o atendimento básico de saúde e diz que uma gestão mais eficiente vai garantir o dinheiro necessário para aumentar o número de equipes do ESF (Estratégia Saúde da Família).

“Para fazer Dourados funcionar melhor, elaboramos um plano de governo para melhorar a vida das pessoas e, assim como em todo o Brasil, a saúde é o principal eixo. A cobertura da assistência básica precisa ser ampliada. Para ter uma cobertura adequada, o município precisa de dez novas equipes, conforme aponta o Conselho Municipal de Saúde”, afirmou.

Segundo o candidato do PMDB, como Dourados ganha em média 20 mil pessoas a cada cinco anos, os postos de saúde dos bairros estão acima da capacidade de atendimento. “O posto de saúde precisa ter no máximo 3.500 famílias referenciadas, mas existe ESF que atende até oito mil famílias. Isso gera fila e essas pessoas acabam superlotando a UPA e os hospitais”.

Além disso, segundo ele, a saúde básica também precisa de mais estrutura, principalmente uma nova frota de carros, para que enfermeiros e médicos possam ir até a casa dos pacientes. Renato defende também a instalação de um laboratório público, para acelerar os exames.

“Aumentar a cobertura de atendimento com mais equipe e estrutura dos ESFs evita que as pessoas procurem os hospitais, pois são atendidas em casa. Para o laboratório, já existem recurso federal e contrapartida do governo do Estado. Uma cidade do tamanho de Dourados não pode depender do sistema privado. Outros municípios do mesmo porte têm. Por que Dourados não tem?”, questiona.

Mais eficiência – Renato Câmara disse que para bancar os investimentos que pretende na área de saúde, vai melhorar a eficiência administrativa da prefeitura e dessa forma economizar dinheiro público.

“Precisamos de uma gestão eficiente. Quando tem pouco recurso é preciso acabar com o desperdício e gastar melhor. No dia 26 de agosto deste ano saiu um ranking dos municípios mais eficientes do Brasil e Dourados ocupa a 4.209ª colocação na eficiência administrativa. Isso demonstra que temos um grande percurso a percorrer para melhorar a eficiência dos gastos públicos e, com o mesmo recurso, alcançar resultados mais satisfatórios tanto na saúde quanto na educação”, afirmou.

Renato Câmara se apresenta aos eleitores douradenses como a “mudança de verdade” na política local e diz que a vida o trouxe até a cidade para ser candidato a prefeito. “A vida me trouxe através do meu trabalho público, que desenvolvo há dez anos, mostrando resultados e superação de crises, melhorando índices da cidade que administrei”.

Sem ingenuidade – O peemedebista disse que conhece a máquina pública como prefeito e não como legislativo, uma indireta a seus dois principais adversários – Délia Razuk (PR) e Geraldo Resende (PSDB) – que são vereadora e deputado federal, respectivamente.

“Conheço porque administrei por oito anos e tenho todas minhas contas aprovadas. Quem conhece nosso trabalho em Ivinhema sabe que fizemos a diferença. Com essa experiência de oito anos, não temos mais a ingenuidade de quem nunca administrou um município. Não somos principiantes e sabemos onde precisa apertar os botões e onde precisa intensificar os investimentos para melhorar a vida das pessoas”, disse Renato.

Segundo o peemedebista, esse é seu principal diferencial em relação aos outros candidatos. “A distância entre ser vereador e ser prefeito da maior cidade do interior do Estado é muito grande. Não pode ser ingênuo para acertar o rumo de Dourados”.

Sobre a pecha de aventureiro, Renato rebate: “não é isso que eu sinto nos bairros. As pessoas nos veem como uma esperança de mudança de verdade porque temos uma candidatura independente, que não está ligada aos grupos tradicionais a política douradense”.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions