ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  18    CAMPO GRANDE 22º

Política

“Fizemos muito”, afirma Bernal, mas cita apenas três obras concluídas

Por Kleber Clajus | 19/11/2013 09:17
Bernal vai a Brasília amanhã para acertar andamento de novas obras (Foto: Cleber Gellio)
Bernal vai a Brasília amanhã para acertar andamento de novas obras (Foto: Cleber Gellio)

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), ressaltou hoje em programa de rádio que “nesses 10 meses fizemos muito”, mas citou apenas três obras. Amanhã (20), tem agenda em Brasília para detalhar investimentos com recursos do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento) de mobilidade e qualificação de vias urbanas, além de buscar investimento para a construção do Hospital Municipal com deputados federais e senadores.

“Nesses 10 meses fizemos muito. Fizemos o recapeamento das Bandeiras, estamos concluindo recapeamento da Spipe Calarge, consertamos o problema da Norte-Sul do desbarrancamento no trecho centro – bairro e já vamos começar do outro lado”, disse Bernal no programa Refazenda, da FM Cidade 97,9.

Em referência ao recapeamento da Avenida Guaicurus, ainda a ser licitado, o chefe do Executivo analisa que “formalidades que a administração pública exige faz com que as coisas demorem um pouquinho”.

Bernal também apontou que 22 Ceinf’s (Centros de Educação Infantil) estão em fase de conclusão e mais 11 unidades irão passar pelo processo de terraplanagem, após o período de chuvas.

Campo político – Na relação com a Câmara Municipal, o prefeito dividiu os esforços entre as áreas política e jurídica. Isso porque enfrenta uma Comissão Processante, que investiga denúncia de irregularidades em seus atos, além de não ter conseguido estabelecer maioria.

“Entreguei ao desembargador Jesus para cuidar dessa questão jurídica e ao professor Pedro Chaves, secretário de Governo, essa questão política. Vou me concentrar na administração. Peço a Deus que os políticos não nos dificultem a administração e façam seu trabalho”, comentou Bernal ao lembrar que a Processante só não o afastou porque “não tem segurança jurídica para fazer isso”.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário