A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

03/05/2012 15:25

Agora adversários, PPS e PSDB mantêm filiados no governo do PMDB

Wendell Reis

Azambuja não estranha saída e Athayde acha que a retirada seria deselegante

Reinaldo Azambuja (PSDB), Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Athayde Nery (PPS), quando o grupo pensava em lançar propostas uniformes para Campo Grande (Foto: Wendell Reis)Reinaldo Azambuja (PSDB), Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Athayde Nery (PPS), quando o grupo pensava em lançar propostas uniformes para Campo Grande (Foto: Wendell Reis)

Embora tenha retirado os secretários da prefeitura, o PPS e o PSDB, adversários do PMDB nas eleições, ainda tem filiados na Prefeitura de Campo Grande e no Governo do Estado, onde, a exemplo, o PSDB ocupa a secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo, com Tereza Cristina.

O presidente estadual do PSDB e pré-candidato a Prefeitura de Campo Grande, deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB), afirmou ao Campo Grande News que praticamente todos os cargos foram entregues e confidenciou que nesta semana mesmo algumas pessoas deixaram os cargos na Prefeitura.

Azambuja faz questão de dizer que o Poder Executivo é responsável pelas indicações. Desta maneira, afirma que não estranha o fato da prefeitura pedir os cargos. Ele alega que quando o partido optou, por unanimidade, por candidatura própria, todos tinham consciência de que isso teria reflexo na relação com a Prefeitura e com o Governo do Estado.

“O partido sabia das consequências quando tomou a decisão. As trocas estão sendo feitas por pessoas que têm algum comprometimento com o PMDB”. O PSDB deixou a Fundação Municipal de Esporte, dirigida por Carlos Alberto de Assis, e a secretaria de Educação, administrada por Maria Cecília Amêndola.

O presidente estadual do PPS, vereador Athayde Nery, alega que a relação entre a prefeitura e o partido era simbolizada pelos diretores da Fundac (Fundação Municipal de Cultura), Roberto Figueiredo, e da Fundação Social do Trabalho, Luiza Ribeiro. Assim, afirma que quando administrou a Fundac, encontrou cargos que não eram de sua alçada e que não foram mudados.

“Não é a administração do partido. É uma indicação técnica e não necessariamente partidária. Não pode agir por irresponsabilidade”, explicou. No entendimento de Athayde, seria até deselegante retirar todo mundo.

No último sábado (28), durante encontro do PMDB em Campo Grande, o governador André Puccinelli (PMDB), líder do partido no Estado, declarou que cobrará lealdade de aliados com cargo de confiança, lembrando que “os cargos são de confiança e não de desconfiança”. Neste sentido, Puccinelli informou que pedirá aos indicados que trabalhem pelo candidato do PMDB em Campo Grande, deputado federal Edson Giroto.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions