A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 18 de Dezembro de 2018

21/02/2013 17:30

André avisa que não vai aceitar “ultimato” no PMDB sobre candidaturas

Josemil Rocha e Carlos Martins
André se autodenominou hoje de Pelé eleitoralAndré se autodenominou hoje de "Pelé eleitoral"

O governador André Puccinelli (PMDB) disse esta manhã que não vai aceitar “ultimato” de nenhum correligionário quanto às candidaturas que seu partido lançará em 2014. À pergunta sobre eventual pressão do ex-prefeito Nelsinho Trad, pré-candidato a governador, e da vice-governadora Simone Tebet pela definição da chapa, André respondeu: “Ninguém dá ultimato no André. Se der, porta aberta é a serventia da casa”.

André evidenciou, porém, descrença quanto a enfrentamentos internos no PMDB, acreditando que a solução sobre a composição da chapa majoritária (governo do Estado e Senado) será consensual. Para ele, ninguém se arriscaria a deixar o PMDB para buscar aventuras eleitorais em outros partidos. “Se alguém sair do PMDB estará fazendo burrice, seja candidato a governador, senador, vereador ou a qualquer coisa”, afirmou o chefe do Executivo estadual.

André participou hoje da abertura do Encontro Estadual de Gestores Municipais de Assistência Social de Mato Grosso do Sul, no Grand Park Hotel, e no final da reunião conversou com os jornalistas.

Indagado se vem fazendo pesquisas para se decidir se vai ou não ser candidato a senador, Puccinelli desconversou: “Pesquisa... Dou banho de bola em todo mundo. O Pelé eleitoral não quer ser senador, vai permitir que haja renovação”. Reafirmou, em tom descontraído, que prefere cuidar dos netos do que disputar vaga para o Senado.

Embora tenha o comando político do PMDB, André declarou ser do seu partido a decisão sobre sua participação ou não nas próximas eleições. “Se meu partido permitir, vamos pegar a gurizada nova para estimular a política estadual”, disse André.

Comissão eleitoral

Durante a entrevista, o governador André Puccinelli anunciou que, caso não seja candidato a senador, deverá criar uma comissão especial para fazer articulações políticas visando sua sucessão. Os integrantes dessa comissão teriam a missão de decidir se terá viabilidade a chapa Nelsinho Trad para governador e Simone Tebet para senadora, ou vice-versa. “Na hora que eu decidir que não sou mais candatido, vou dizer para eles, a responsabilidade é de vocês”, explicou Puccinelli. “E aí vou ser presidente honorário desse comissão para ser consultado, se me consultarem”, emendou.

Apesar de relativizar seu papel nessa comissão, André garante que estará pronto a colaborar, se seus companheiros quiserem compor alianças eleitorais. Advertiu, porém, que a responsabilidade será desse coletivo. “A responsabilidade do fumo ou não fumo é deles”, declarou o governador.

André reafirmou que até o dia 31 de março decidirá se vai ou não ser candidato a senador no ano que vem.

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions