A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

11/12/2012 11:39

André diz que negociações vão continuar e que repasse da UEMS não caiu

Fabiano Arruda e Paula Maciulevicius
Em reunião com representantes da universidade, ontem, governador apresentou balanço de repasses à instituição. (Foto: Luciano Muta)Em reunião com representantes da universidade, ontem, governador apresentou balanço de repasses à instituição. (Foto: Luciano Muta)

O governador André Puccinelli (PMDB) garantiu, nesta terça-feira, que as negociações com a UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), que reivindica a implantação de PCC (Plano de Cargos e Carreiras), vai continuar.

Segundo ele, a comissão formada pelos deputados Junior Mochi (PMDB), Pedro Kemp (PT) e Márcio Monteiro (PSDB) vai articular as conversas, de forma constante, com o Governo do Estado.

Puccinelli reafirmou hoje que os repasses para a instituição sempre se mantiveram crescentes. “A gente prestigia UEMS. Nunca houve redução de valor”, explicou.

O governador ainda comentou que os servidores da universidade têm o direito de elaborar um PCC, desde que esteja dentro das previsões orçamentárias.

Ontem (10), Governo e representantes da UEMS se reuniram e ficou definida a criação de uma comissão mista para acompanhar o estudo de implantação do PCC.

Repasses – Durante o encontro, o chefe do Executivo Estadual comparou os repasses estaduais referentes a cinco poderes: Procuradoria Geral de Justiça, Tribunal de Contas, Assembleia Legislativa, Defensoria Pública Geral do Estado e UEMS.

Com documentos em mãos, apresentou balanço em que mostra que, no ano de 2012, mesmo com as medidas tomadas para conter os impactos da crise econômica no meio do ano, a universidade teve aumento de quase 19% em seu repasse desde janeiro; iniciou 2012 recebendo mais de R$ 5,51 milhões e atualmente recebe R$ 6,55 milhões.

A Defensoria Pública, de acordo com o balanço apresentado, também recebeu um acréscimo, porém menor do que o repassado para a UEMS. Passou de R$ 5,75 milhões para R$ 6,5 milhões.

Todos dos demais poderes sofreram cortes no repasse, segundo os números apresentados pelo governador. A Procuradoria Geral de Justiça passou de R$ 19 milhões para R$ 18 milhões, Tribunal de Contas de R$ 9,8 milhões para R$ 9,3 milhões e a Assembleia Legislativa de R$ 12,4 milhões para R$ 12 milhões.

O levantamento ainda indica que a UEMS recebeu uma série de repasses pontuais destinados para projetos como o de aquisição de computadores e de livros para a instituição. André apresentou os números para rebater as acusações de que seu governo não se importa com a UEMS, seus servidores e alunos.

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions