A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

02/06/2016 12:28

Bernal diz que tem dinheiro para rescisões, mas não sabe quando demitirá todos

A Prefeitura deve desligar uma parte dos contratados pelos convênios irregulares até julho

Mayara Bueno e Leonardo Rocha
Prefeito de Campo Grande, em evento de entrega de armas para a Guarda Municipal, nesta quinta-feira (2). (Foto: Fernando Antunes)Prefeito de Campo Grande, em evento de entrega de armas para a Guarda Municipal, nesta quinta-feira (2). (Foto: Fernando Antunes)

O prefeito Alcides Bernal (PP), disse, nesta quinta-feira (2), que a Prefeitura de Campo Grande tem recursos necessários para demitir parte dos contratados pela Omep (Organização Mundial pela Educação Pré-Escolar) e Seleta Sociedade Caritativa e Humanitária, conforme prevê a determinação judicial. No entanto, não sabe quando o desligamento de todos será feito.

Isto porque, segundo Bernal, o dinheiro referente às primeiras rescisões está garantido, mas “não de todos aqueles que o magistrado determinou”. “Vamos fazer o que podemos no momento, o que a Prefeitura consegue”, afirmou.

Segundo a decisão da Justiça, emitida no fim de abril, o Executivo Municipal tem até julho de 2017 para demitir todos os 4,3 mil funcionários contratados por meio das entidades. Mas, deve desligar uma parte até julho deste ano. O processo foi entregue ao Poder Judiciário, depois de o MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) apontar casos irregulares nas contratações e das tentativas extrajudiciais de fazer com que os convênios fossem rompidos, nenhuma delas cumprida.

O primeiro corte – com a previsão de demissão de 300 funcionários – era para acontecer na quarta-feira (1º), mas, segundo as entidades, a Prefeitura de Campo Grande não depositou o dinheiro necessário, portanto, o valor das rescisões pode aumentar, já que os trabalhadores continuam no serviço até a demissão de fato ocorrer.

De acordo com as entidades, a Prefeitura teria de desembolsar, a título de rescisões, R$ 1,5 milhão, no caso da Omep, e quase R$ 2 milhões para funcionários da Seleta, se o primeiro desligamento acontecesse ontem. A informação é de que uma nova lista de demitidos será encaminhada, bem como um novo pedido de cálculo, por parte da Prefeitura, e que a demissão ocorrerá até 30 de junho.



Esse prefeito só pode estar de sacanagem né! Como ele não da satisfação para os aprovados que até hoje estão aguardando a convocação, desde de 2014, acreditando em um edital que especificava tantas vagas e até hoje nem 50% das vagas foram preenchidas, pois no lugar a contratações irregulares. Deus tá vendo Bernal!
 
francielle campos em 03/06/2016 00:32:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions