ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  03    CAMPO GRANDE 27º

Política

Após 40 dias, Bolsonaro troca presidente da Petrobras pela terceira vez

Novo presidente da estatal até então era secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital

Por Adriano Fernandes | 23/05/2022 20:55
Veículos sendo abastecido em posto de gasolina da Capital. (Foto: Henrique Kawaminami)
Veículos sendo abastecido em posto de gasolina da Capital. (Foto: Henrique Kawaminami)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) trocou mais uma vez o comando da Petrobrás. Nesta noite (23) o governo federal anunciou a demissão de José Mauro Coelho, depois de apenas 40 dias no cargo. Em seu lugar assume Caio Paes de Andrade, que até então era secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, ligado ao Ministério da Economia.

A indicação ainda precisa ser aprovada pelo Conselho de Administração da Petrobras. Paes de Andrade será o terceiro executivo a comandar a estatal em menos de quatro anos do governo de Jair Bolsonaro. A empresa já foi presidida por Roberto Castello Branco e pelo general Joaquim Silva e Luna.

Caio Paes é formado em Comunicação Social pela Universidade Paulista, pós-graduado em Administração e Gestão pela Harvard University e Mestre em Administração de Empresas pela Duke University.

"Portanto, o indicado reúne todos as qualificações para liderar a Companhia a superar os desafios que a presente conjuntura impõe, incrementando o seu capital reputacional, promovendo o continuo aprimoramento administrativo e o crescente desempenho da Empresa, sem descuidar das responsabilidades de governança, ambiental e, especialmente, social da Petrobras", disse o Ministério de Minas e Energia em nota.

A nova troca de comando da Petrobras, surge diante do impacto da alta no preço dos combustíveis na popularidade do presidente há cinco meses da eleição. Conforme o portal do jornal O Globo o nome de Caio Andrade já havia sido ventilado quando Bolsonaro decidiu demitir o general Joaquim Luna e Silva, em março. No Planalto, a nomeação de Caio foi atribuída a Paulo Guedes junto com Adolfo Sachsida, novo ministro de Minas e Energia, afirma o jornal. No dia 15 de maio, Bolsonaro, ao ser questionado sobre a troca no comando da Petrobras, indicou que a decisão seria Sachsida. A expectativa no governo é que haja substituições também entre os diretores da estatal.

Desde que assumiu o Ministério de Minas e Energia, Adolfo Sachsida deixou claro que tomava decisões em alinhamento com o presidente Jair Bolsonaro, como o anúncio dos estudos para privatização da Petrobras e PPSA. O presidente também deu declarações em que praticamente deu carta branca para o Sachsida escolher alguém de sua preferência para o comando da estatal.


Nos siga no Google Notícias