ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  19    CAMPO GRANDE 28º

Política

Câmara culpa inflação por queda de R$ 3 milhões na devolução à Prefeitura

Por Alberto Dias | 01/01/2017 14:08
Presidente da casa, João Rocha (PSDB) explica queda no repasse. (Foto: Divulgação/Câmara)
Presidente da casa, João Rocha (PSDB) explica queda no repasse. (Foto: Divulgação/Câmara)

O aumento da inflação, somado a gastos com manutenção do sistema de informática e, ainda, reparos no prédio da Câmara Municipal, foram os principais motivos alegados pelo Legislativo para justificar a queda no repasse anual do duodécimo.

Conforme a presidência da casa de leis, foram devolvidos à prefeitura um montante no valor de 7,347 milhões - o total representa cerca de R$ 3 milhões a menos que o repasse realizado ao final de de 2015.

A justificativa partiu do presidente da casa de leis, vereador João Rocha (PSDB), que toma posse neste domingo para mais uma legislatura, junto com outros 28 parlamentares. "Estamos em um prédio antigo, que precisa de conservação e manutenção. Já a tecnologia é dinâmica e nosso sistema de informática tinha pontos deteriorados que precisaram ser recuperados e também houve alguma implementação", explicou ao Campo Grande News.

Conforme o tucano, "essa diferença de devolução foi basicamente em cima disso: aumento de inflação e também de investimentos, além do aumento de vencimentos na parte de pessoas", disse, referindo-se ao reajuste salarial.

O dinheiro estará disponível na conta do Município nesta segunda-feira (2), aos cuidados do novo prefeito Marquinhos Trad (PSD), que também será empossado logo mais, às 17h, no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo.

A verba referente ao duodécimo é repassada todo ano para bancar as despesas do legislativo. Quando há economia destes valores, então o recurso é devolvido para o executivo. No ano passado, a devolução da Câmara foi de R$ 10,2 milhões. Em consulta ao Portal da Transparência do Legislativo Municipal, é possível verificar que, por mês, foram entregues quantias entre R$ 4 e R$ 5 milhões, somando um total de pelo menos R$ 65 milhões nos 12 meses.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário