ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  15    CAMPO GRANDE 24º

Política

Câmara Municipal vai adotar as sessões virtuais após o recesso

Os vereadores mantiveram as sessões presenciais até o final do semestre, mas resolveram mudar o modelo

Por Leonardo Rocha | 31/07/2020 12:30
Vereadores durante sessão na Câmara Municipal, no primeiro semestre (Foto: Divulgação - CMCG)
Vereadores durante sessão na Câmara Municipal, no primeiro semestre (Foto: Divulgação - CMCG)

Os vereadores de Campo Grande voltam do recesso na próxima semana com sessões virtuais. Os parlamentares irão votar e apresentar projetos por videoconferência, apenas o presidente da Casa de Leis, João Rocha (PSDB), e o primeiro-secretário, Carlos Borges (PSB), irão ao plenarinho para conduzir os trabalhos.

“Encerramos o primeiro semestre com todas as sessões presenciais, sem nenhuma ocorrência, no entanto devido ao agravamento da pandemia (covid-19) na cidade, tivemos que tomar as providências, por isso seguiremos para as sessões remotas”, explicou João Rocha, em entrevista ao Campo Grande News.

A Mesa Diretora publicou ato hoje (31) instituindo o sistema de votação remota na Câmara Municipal. Para isto vai ser montada a plataforma aos 29 vereadores, que irão trabalhar na sessão por meio de videoconferência. O modelo poderá ser usado nas sessões ordinárias, extraordinárias e audiências públicas.

As sessões continuam sendo realizadas ás terças e quintas-feiras, das 9h até às 12h. Já as (sessões) extraordinárias e audiências públicas serão convocadas para dia e horário marcado previamente, sendo comunicado a todos os vereadores.

Funcionamento – O prédio da Câmara Municipal vai continuar funcionando, de segunda a quinta-feira das 8h até às 12h, no entanto vai reduzir o número de servidores, tendo a frequência de 25% do quadro de pessoal, que irão trabalhar no regime de revezamento, definido pela direção de cada departamento, assim como gabinete dos vereadores.

“O prédio continua aberto e funcionado, sem prejuízo para as atividades parlamentares, no entanto com redução de expediente e funcionários, já que o momento exige tais alterações”, destacou João Rocha. O expediente de cada gabinete será definido por cada parlamentar. Os demais servidores seguem em regime de teletrabalho.