A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

20/04/2011 13:12

Deputados condenam espancamento de jovem por conta de homofobia

Ítalo Milhomem

O espancamento de um estudante universitário homossexual por um grupo de quatro rapazes na madrugada sexta-feira (15) foi um dos principais temas debatidos sessão na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (20).

O deputado Pedro Kemp (PT) subiu à tribuna e lembrou casos de intolerância e violência cometidos por jovens de classe média alta, que antes eram vistos nos grandes centros e hoje chegaram ao Estado.

Kemp ressaltou que os jovens ouvidos ontem pela delegada que investiga o caso do espancamento, confessaram que tinham batido no rapaz por um simples argumento fútil, achar que ele era homossexual.

No Rio de Janeiro um grupo de jovens agrediu e roubou uma empregada doméstica negra, que esperava um ônibus para voltar para casa. Após serem presos e ouvidos argumentaram que pensavam que ela era uma prostituta.

Em outro caso semelhante, o deputado citou o caso índio Galdino, em que jovens filhos de autoridades de Brasília, queimaram vivo um indígena que dormia em um ponto de ônibus esperando um evento do governo federal em comemoração ao Dia do Índio.

O deputado Paulo Duarte (PT) também afirmou já foi alvo de críticas homofóbicas, quando apresentou um projeto que tratava sobre o pagamento de pensões pelo o Estado para parceiros homoefetivos .Ele recebeu emails criticando o projeto. Duarte também parabenizou a postura do prefeito de Costa Rica, Jesus Baird (PMDB), pai de um dos agressores, que afirmou o filho deveria ser punido pela atitude.

Os deputados Cabo Almi (PMDB) e Alcides Bernal(PP) também condenaram a postura dos jovens que agrediram o rapaz por conta do preconceito contra os homossexuais .

O deputado Junior Mochi (PMDB) foi o único que saiu em defesa de André Baird,filho do prefeito. Ele contou que conhece o prefeito de Costa Rica de longa data e acredita na criação que ele deu aos seus filhos e se disse surpreso quando viu o caso envolvendo o André na televisão.

“Eu conheço o prefeito de Costa Rica e o filho dele e não acreditei quando vi o caso na televisão. Ele é um menino estudioso, conheço os pais dele, que deram uma boa educação. Eu posso afirmar a conduta da família e do menino, que se apresentou espontaneamente na delegacia”, pontuou o deputado peemedebista.

Kemp finalizou os debates lembrando que há dez anos tramita um projeto na Congresso que criminaliza o preconceito contra homossexuais ,idosos e deficientes. Em 2006 o projeto foi aprovada na Câmara, mas foi arquivado pela maioria dos parlamentares conservadores no Senado. Após alguns projetos substitutivos apresentados, nesta legislatura atual, a senadora petista Marta Suplicy (PT-SP) pediu o desarquivamento do projeto no Senado, que deverá ser reavaliado pelos senadores.

Assembleia vota prorrogação de adesão a fundo que regula incentivos fiscais
A prorrogação até 30 de dezembro do prazo para que empresas beneficiadas com incentivos fiscais concedidos pelo governo do Estado se inscrevam no Fad...
Governo do Estado investe R$ 9,2 milhões em infraestrutura em Caracol
Caracol vai receber mais de R$ 2,8 milhões em obras a serem executadas pelo Governo do Estado em parceria com a prefeitura e deputados federais e est...


Nossa que barbaridade ,aqnde estamos ,esse filho do prefeito de costa rica tivesse nos estados unidos a pena seria a mesma,para qualquer cidadadão de lá indepedente que fosse ou tinha que pagar muito,infelismente estamos no Brasil quem pode pode menos dizer isso no curso de direito será isso mesmo, e a fada madrinha existe.Nao esquecendo que faz o curso de direito .tlvez sera um juiz,não ira´muito longe .não respeita nem seus semelhantes imagine que sera coitado filho de um pai conquistou posição social esqueceu de dizer para filho sobre direito de escolha de cada um,não ecristo para definir como tal milhas filhas sabem aonde possa ir eu ensino desde pequena amar as pessoas independente o que seja não pode fazer nada não atrapalhe,o fez para aparecer noi seu grupo social e o cara a aula psicologia faltou quando minha prof fala qdo agredimos alguem assim tem maria dentro de voce isso que pertuba esse menino talvez não defiu sua indentidADE O QUE REALMENTE QUER.
 
elvira werner em 25/04/2011 08:36:43
Filhinho do papai, acostumado a raspinha de maçã, nunca pegou no pesado, tudo que quis caiu no colo. O cara já tem 20 anos e o deputado Junior Mochi trata-o de menino. Só falta dizer que a sessão de espancamento foi uma brincadeirinha de criança e sabe que o pai dele vai castigá-lo por isso. Vai ficar uma semana sem assistir desenho animado e vídeo game do pokemon...Ah deputado, pára de firula! O cara já é homem! Como fez falta o serviço militar prá esse "menino".
 
ITAMAR DA ROCHA BARROS FILHO em 21/04/2011 07:42:17
Deputado Junior Mochi....
o acusado é o filho do prefeito, nao o prefeito...
muito me admira o senhor que é representante do povo se dizer NÃO acreditar que o 'menino' fez isso.... homossexual tambem vota deputado...
 
Sebastiao Santos em 20/04/2011 02:13:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions