ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 15º

Política

Deputados divergem sobre decisão de compra de terras para indígenas em Dourados

Pedro Kemp (PT) e Pedrossian Neto (PSD) debateram solução apresentada por presidente Luiz Inácio Lula da Silva

Por Gabriela Couto | 16/04/2024 12:21
Deputado estadual Pedro Kemp (PT) disparou no microfone: ' então deixar como está', no intuito de alfinetar colega no plenário (Foto: Luciana Nassar)
Deputado estadual Pedro Kemp (PT) disparou no microfone: ' então deixar como está', no intuito de alfinetar colega no plenário (Foto: Luciana Nassar)

Durante a sessão desta terça-feira (16), na Assembleia Legislativa, os deputados estaduais debateram a agenda do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em Campo Grande, na última sexta-feira (12).

Além de ressaltarem a exportação da carne para a China, eles debateram a proposta que o petista fez para o governador Eduardo Riedel (PSDB) para comprar fazendas para os indígenas de Dourados.

Pedro Kemp (PT) destacou o pedido de Lula como sendo uma solução pacífica e viável. “A terra indígena de Dourados é a maior reserva do Estado. Houve a promessa para comprar uma área para ampliar e dar dignidade para os guarani-kaiowá”.

Em seguida, o deputado estadual Pedro Pedrossian Neto (PSD) rebateu o elogio. “Depois de 30 anos de conflito, com 200 propriedades invadidas, da forma que estão tratando o produtor, vem falar que vai comprar outra fazenda? Essa não é a forma correta de tratar a questão”, disparou.

Para ele é necessário cumprir a lei de direito à propriedade e da repercussão geral do voto do Marco Temporal. “A decisão é que haja demarcações apenas após indenização prévia. Não vamos aceitar remendo. E o presidente da República tem que tratar de forma correta o produtor rural, ainda que bem intencionada essa solução é inadequada”.

Kemp decidiu fazer a tréplica sobre a questão e pediu para retirar o que tinha dito. “Vou retirar o elogio à proposta do presidente e então deixar como está. Propriedades ocupadas por índios, ninguém faz nada. Como o governo do ex-presidente Bolsonaro fez e o problema vai ser varrido para debaixo do tapete. O presidente sinalizou indenização, por pagamento justo da terra aos produtores. Se não quer falar nisso, deixa o conflito para ver como fica”.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias