A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

02/05/2012 12:58

Deputados estudam fazer audiência para discutir fim da pesca no Pantanal

Wendell Reis

Projeto apresentado no Senado Federal gerou polêmica na Assembleia Legislativa

Arroyo pensa em trazer Blairo Maggi ao Estado para discutir o projetoArroyo pensa em trazer Blairo Maggi ao Estado para discutir o projeto

O deputado estadual Paulo Corrêa (PR) sugeriu uma audiência pública para discutir o projeto de lei de autoria do senador Blairo Maggi (PR-MT), que proíbe por cinco anos a pesca profissional e esportiva no Pantanal de Mato Grosso e de Mato Grosso do Sul. O assunto ganhou repercussão na Assembleia Legislativa ao ser trazido à tribuna pelo deputado estadual Antônio Carlos Arroyo (PR).

Arroyo saiu em defesa de Blairo, dizendo que ele não fez nada de inconstitucional ou ilegal e apenas apresentou um projeto para que se faça a discussão. O deputado defendeu uma reciclagem para os pescadores, o que permitirá que apenas pessoas capacitadas trafeguem nos rios do Pantanal. Ele lembrou que caso o projeto seja aprovado, tem que se respeitar a lei federal. Por isso, informou que convidará o senador para vir ao Estado discutir o projeto.

O deputado Paulo Duarte (PT) criticou o fato do senador não ter ouvido ninguém de Mato Grosso do Sul antes de apresentar o projeto. Ele também não concorda com o fato do projeto não ter apontado alternativa para resolver o caso e, de uma hora para outra, ter apresentado um pedido de mudança.

Paulo Duarte avalia que o senador pode estar querendo se livrar do rótulo de “motosserra”, dado a ele por parte da imprensa, alegando que, por ser empresário, desmatou muito no Mato Grosso. Arroyo não concordou com a declaração de Paulo Duarte e disse que Maggi é um empresário bem sucedido e que gera muitos empregos.

O deputado Junior Mochi (PMDB) considerou uma deselegância do senador o fato de ter apresentado um projeto proibindo a pesca no Pantanal sem consultar o Estado, que tem a maior parte do Pantanal. O deputado se recordou que quando foi criada a Lei da Pesca, a Assembleia Legislativa realizou diversas audiências públicas para discutir o assunto.

Mochi também criticou o fato de atribuírem ao pescador a responsabilidade pela redução do cardume. Ele entende que boa parte desta culpa se deve ao desmatamento, que muito contribui para o assoreamento dos rios. Paulo Corrêa preferiu apaziguar a situação e pediu para que ninguém fique “magoado”, tendo em vista que o projeto foi apresentado e agora é preciso fazer a discussão. O Campo Grande News tentou contato com o senador, mas ainda não recebeu retorno.



Eu, já gosto de comer, porque pesca eu não vou não, eu fico na retaguarda!!!!!!!!!!!!
obrigado
 
CICERO FREITAS BATISTA em 02/05/2012 05:11:35
acho que nao adianta ser radical e acabar com a pesca, basta fiscalizar mais e aperfeiçoar as leis ja existentes. Na epoca do governo Zeca ele alterou algumas coisas fundamentais (cota e medida) e o reflexo disso estamos vendo ate hoje. Na minha opniao a forma mais drastica de repovoar os rios seria o pesque e solte, assim o fluxo de turistas nao diminuiria, pelo contrario a tendencia e aumentar..
 
Rodrigo Pereira em 02/05/2012 05:09:39
Tem que proibir é a pesca profissional, essa sim depreda o pantanal e o pior é que o dito "profissional" vive na miséria, tem gente importante lucrando com essa depredação, que não distribui renda nem dá emprego formal pra ninguém. Se fizer isso o turismo de pesca vai aumentar com o aumento dos cardumes, lembrem-se que é o turismo mais caro que existe, traz recursos e exige natureza preservada.
 
Gilson Pereira em 02/05/2012 03:41:43
sou pescador amador e acho que posso opinar bem sobre esse assunto, eu sou a favor da lei, pois pescaria amadora não acaba com os peixes do pantanal. quando o zeca do pt fez a lei da pesca estipulando medida e cota de pescado ele foi muito criticado, na minha opinião melhorou bastande, antes da lei vc ia no rio aquidauana, miranda e não pegava nada, hoje vai no mesmo lugar e vê a diferença.
 
aparecido carlos em 02/05/2012 03:23:00
absurdo alguem pensar desa forma, quantos empregos empresas pesoas e riberinhos depende da pesca, agora se ele tivesse noção e quisese realmente defender a natureza, parasse de desmatar, e estudase na pratica o que e pesca, talves ele direcinava esse progeto de outra forma, tipo proibir a saida do pescado de cada estado,e incentivar o pesque e solte...por exemplo.
 
Marcio M. Caixeta em 02/05/2012 02:05:36
vcs tem k acabar com os pescadores profissionais, eles é k acabar com os peixes do nossos rios, nos amadores vamos uma vez por mês aos rioas, eles dorme no rios do nosso estado, nem um deles cumpri a legislação do nosso estado.
 
humberto jorege em 02/05/2012 01:49:50
Em vez de acabar com apesca no Pantanal, tem que acabar com o assoreamento dos rios e reflorestar das margens
 
Antônio de Oliveira Santos em 02/05/2012 01:45:44
É de se lamentar o projeto do Caldo de Galinha, qual foi Senador? o Estudo Cientifico pra chegar a esse Projeto de se proibir a pesca..??

Fazer o que?? já vivemos numa DITADURA disfarçada de Democracia...
é proibido beber? proibido ouvir musica, proibido fumar.....e agora...proibido pescar... dá licença né Senador..vai reflorestar o que desmatou.
 
Luiz Carlos Fonseca Vieira em 02/05/2012 01:36:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions