A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

29/06/2016 13:20

Edil denuncia falta de projetos de iluminação e briga por suspensão de taxa

Alberto Dias
Vereador questiona também tabela que define as classes para cobrança da Cosip (Foto: Alberto Dias) Vereador questiona também tabela que define as classes para cobrança da Cosip (Foto: Alberto Dias)

O vereador Edil Albuquerque (PTB) convocou a imprensa nesta quarta-feira (29) para contestar o veto do prefeito Alcides Bernal (PP) ao projeto de lei que suspende por 180 dias a cobrança da taxa de iluminação pública na Capital. Conforme o parlamentar, o veto será derrubado pela Câmara Municipal na próxima semana e vão chamar representante da Prefeitura para explicar sobre investimentos em iluminação "que não acontecem".

Será convidado a comparecer à casa de leis o chefe de iluminação pública da Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Trabalho e Habitação), Laércio Araújo Chaves, para esclarecer, por exemplo, sobre a falta de previsão para troca de lâmpadas incandescentes por LED, de modo a gerar economia, "inclusive no bolso do contribuinte".

A intenção, segundo Edil, é entender onde serão investidos R$ 53 milhões provenientes da Cosip (Contribuição para o Custeio do Serviço de Iluminação Pública) que estão no caixa do município. Do contrário, "não há porque manter a cobrança da taxa com tanto dinheiro em caixa", disse. A suspensão da Cosip por seis meses tem, ainda, a intenção de obrigar a Prefeitura a entregar os balanços sobre investimentos e gastos com manutenção. "A prestação de contas é prevista em lei e não está acontecendo", complementou.


Por fim, o parlamentar denuncia que entre as sete regiões que dividem Campo Grande, apenas duas recebem manutenção constante, fato contraposto ao aumento no índice de crimes em áreas periféricas mal iluminadas. Edil Albuquerque questiona licitação municipal no valor de R$ 47,6 milhões para revitalizar a iluminação de todas as regiões da cidade.


Do total, R$ 7 milhões seriam para iluminação ornamental de 19 vias. Outras sete vias teriam a luminárias revitalizadas ao custo de R$ 4 milhões. "Quais vias são essas?", questiona. Outro ponto abordado é sobre 114 praças que receberão lâmpadas de LED ao custo de R$ 8 milhões. "A Prefeitura arrecada com a cobrança da taxa, tem recursos em caixa e não apresenta tais projetos e nem executa a modernização do sistema", reclama, ressaltando que desde que o prefeito foi reconduzido, em agosto de 2015, nenhum projeto foi apresentado.



pois é sr vereador sr foi vice prefeito e e sempre apoiou a taxa agora ano polirico quer dar um de ajuda os pobre poq nao fez quando era vice olha la na rua gaspar de lemos 16 anos sem iluminaoçao publica no primeito ano do benal ja colocou nao to devedendo o prefeito mas quado a gente temos a caneta na mao nao fez agora quer cobrar ai fica fascil
 
Jailson Freitas em 04/07/2016 15:38:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions