A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Agosto de 2017

22/06/2014 20:01

Em busca de recurso antidrogas, Olarte converterá Guarda Municipal em secretaria

Kleber Clajus
Olarte ressalta que secretaria não será nova, mas reestruturação do que já existe para não aumentar déficit financeiro (Foto: Kleber Clajus)Olarte ressalta que secretaria não será nova, mas reestruturação do que já existe para não aumentar déficit financeiro (Foto: Kleber Clajus)

Com objetivo de fortalecer ações de segurança e combate às drogas o prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), pretende transformar a Guarda Municipal em Secretaria Municipal de Defesa Social e Combate às Drogas. Na prática, a decisão pode facilitar a aquisição de recurso federal para aparelhar o efetivo e realizar projetos em âmbito social.

“Tenho vários nomes, mas isso precisa primeiro se concretizar. Não é estrutura nova, mas reordenamento jurídico e também é preciso lembrar que a responsabilidade no combate às drogas é de todos e precisamos acabar com hipocrisia, pois o problema começa em casa”, explicou Olarte durante evento, neste domingo (22), no CLC (Circuito de Laço Comprido).

Um dos candidatos naturais para a pasta, conforme o prefeito, seria o comandante da Guarda Municipal, coronel Jhonnys Cabrera. Ele ainda informou que policiais federais serão convidados a fazer parte da nova estrutura que já teria recursos assegurados junto ao Ministério da Justiça.

Durante a abertura da Semana Estadual Antidrogas, na sexta-feira (20), Olarte indicou que ações de esporte e cultura também serão reforçadas em bairros. Uma delas, referente a música, tem previsão de formar 4,5 mil músicos, tirando crianças e adolescentes das ruas. Já quanto ao esporte, são estimados mais de 100 projetos.

Outras secretarias – Com déficit de R$ 300 milhões, em processo de recuperação fiscal, o prefeito descartou que novas secretarias sejam criadas neste ano. Uma delas seria a de Assuntos Comunitários, aprovada pela Câmara Municipal, em substituição a coordenadoria que tem por função intermediar reivindicações de lideranças comunitárias com o Executivo.

“Não criei nenhuma secretaria e as que foram [enviados os pedidos] eu suspendi. Não tem como ser criada uma de assuntos comunitários porque a coordenadoria precisa antes mostrar serviço por uns dois anos e depois voltamos a conversar. A Câmara também entendeu que não podemos ficar gastando dinheiro, até porque estou com déficit em caixa”, comentou Olarte.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions