A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

07/03/2010 11:13

Em clima tenso, PMDB/MS realiza 2ª prévia da história

Redação

Munido de bandeiras, adesivos, banners e gritos de guerra, o PMDB/MS foi às urnas hoje escolher o candidato do partido ao Senado da República nas eleições deste ano.

Em Campo Grande, o clima ficou tenso por conta não só da disputa entre os militantes por espaços na frente da escola Joaquim Murtinho, na avenida Afonso Pena, 2445, no centro, mas pela acusação do candidato e senador Valter Pereira de que partidários do adversário, deputado Waldemir Moka, estariam comprando votos.

A acusação de Valter Pereira também é de que a primeira-dama da Capital, Antonieta Trad, e o esposo da prefeita Simone Tebet, Eduardo Rocha, estariam coagindo servidores a votar em Moka. Eles negam as acusações.

Mas também houve clima de festa, principalmente com a chegada do ex-governador Wilson Barbosa Martins, que disse estar com "o coração despedaçado" por ter de escolher entre dois amigos. Ele não quis declarar o seu voto e fez questão de abraçar ambos os candidatos.

Para Wilson, as prévias são importantes porque "oxigenam" o partido. Esta é a segunda prévia já realizada pelo PMDB, em mais de 40 anos de existência no Estado.

A expectativa é de que 10 mil peemedebistas vão às urnas hoje em todo o Estado. O PMDB possui 40 mil filiados cadastrados.

O partido, um dos maiores de Mato Grosso do Sul, anteriormente havia realizado prévias apenas em 1994, quando o ex-governador Wilson Barbosa Martins disputou a indicação para a disputa com o então peemedebista João Leite Schmidt, hoje no PDT. Na época, a vitória foi de Wilson, que foi eleito.

No Brasil, a realização de prévias é um instrumento usado principalmente pelo PT para a definição dos candidatos quando há disputa interna.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions