A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

14/06/2013 14:26

Em manifestação, deputado lembra que terras foram tituladas pelo governo

Jéssica Benitez

O deputado federal, Reinaldo Azambuja (PSDB), está em Nova Alvorada do Sul para participar da manifestação ruralista no entroncamento das BRs 163 e 267 que pede paz no campo. Na ocasião, o tucano se pronunciou a respeito do impasse entre índios e fazendeiros acerca das demarcações de terras indígenas em Mato Grosso do Sul.

“O governo tem de pagar um preço justo pelas terras. Em Mato Grosso do Sul, não há terras invadidas por produtores. As terras foram tituladas ou pela União ou pelo Estado. Portanto, o governo não pode ser conivente com invasões, nem fazer expropriações”, disse, ressaltando que o almejado por ruralistas é acabar com insegurança no campo.

O parlamentar contou que a morosidade do Governo Federal foi reconhecida pelo próprio Poder Público, sendo que, em encontro em Brasília, o ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, admitiu que precisa colocar um fim ao conflito. “O próprio ministro reconheceu que não dá mais para empurrar o problema com a barriga”, declarou.

Força Política - Além de Reinaldo, estão presentes no manifesto, a senadora Kátia Abreu (PSD-TO), presidente da Confederação Nacional da Agricultura, está presente na manifestação, assim como o presidente estadual do PSDB, deputado Márcio Monteiro, o senador Waldemir Moka (PMDB), os deputados federais Geraldo Resende (PMDB), Fábio Trad (PMDB), Akira Otsubo (PMDB), o deputado estadual Zé Teixeira (DEM) e a deputada Mara Caseiro (PTdoB).

A manifestação “Onde tem justiça, tem espaço para todos” foi organizada pela Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS) e CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil).

Marun ainda quer votar relatório da JBS antes de posse no ministério
Na véspera de ser empossado como ministro da Secretaria de Governo, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), relator da Comissão Parlamentar Mista de Inqué...
Senado aprova R$ 1,9 bi a estados para compensar desoneração de exportações
Após suspender a sessão do Congresso Nacional, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), retomou os trabalhos do plenário da Casa com o obj...
Temer discutirá data de votação da reforma da Previdência nesta quinta
O anúncio do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), de que a votação da proposta de reforma da Previdência ficará para fevereiro causou r...


DEPUTADO REINALDO AZAMBUJA: Enfim, um autoridade do legislativo que falou com coerência a respeito da questão indígena. A união expropriou essas terras. Nunca se perguntou se estavam ocupadas. E o mais grave. Sempre procrastinou o assunto no congresso. Com essa omissão, são vítimas os índios que ficaram sem suas terras e os fazendeiros que a adquiriram na boa fé. Solução? desapropriação pelo valor justo. A terra volta para a união e o índio passa a ser o usuário. Diferente do sem terra que recebe e comercializa o lote recebido.
 
jose maria santos em 14/06/2013 14:51:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions