A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

08/11/2011 13:33

Felipe Orro encerra licença e retoma vaga na Assembleia Legislativa

Wendell Reis
Felipe Orro pediu 121 dias de licença para cuidar do pai, mas antecipou retorno(Foto:Divulgação/Assessoria ALMS)Felipe Orro pediu 121 dias de licença para cuidar do pai, mas antecipou retorno(Foto:Divulgação/Assessoria ALMS)

Já estava quase tudo certo para Gerson Claro (PDT) assumir a vaga de Felipe Orro (PDT) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, faltando apenas a publicação no Diário Oficial do Estado, mas Felipe Orro encerrou a sua licença e deve retornar a Casa já na sessão desta quarta-feira (9).

Orro ganhou o direito de retornar porque o primeiro suplente, Ângelo Guerreiro (PSD), renunciou a vaga na sexta-feira (4). Assim, o deputado conseguiu voltar antes que Gerson Claro fosse convocado, embora o mesmo já tivesse até se reunido como presidente da Assembleia, Jerson Domingos (PMDB), para acertar detalhes de sua posse.

O deputado Felipe Orro explicou que tirou 116 dias de licença para tratar de assuntos particulares, que seria a recuperação de seu pai, ex-deputado Roberto Orro,73 anos, e cinco dias para tratamento pessoal, o que somou os 121 dias necessários para a convocação de um suplente.

Orro alega que a volta ocorre porque o pai se recupera bem e sua visão melhorou significativamente. Ele confidenciou que o pai faz tratamento há cinco anos e nunca pode acompanhá-lo. “O médico dele pensou até que ele só tinha duas filhas, porque nunca acompanhei ele”. O comunicado de retorno foi feito hoje.

Questões Políticas - Há quem diga que a licença de Felipe Orro também teria questões políticas. Uns defendem que ocorreu para que Ângelo Guerreiro permanecesse no PDT, o que não aconteceu. Outras pessoas dizem que o objetivo central seria o que acabou acontecendo: O deputado renunciou a vaga de suplente e agora não poderá assumir a vaga se George Takimoto (PSL) ou Felipe Orro forem candidatos a prefeitura ou renunciarem.

Em meio a tantas especulações também existe o entendimento de que Guerreiro acabou se beneficiando com a situação, pois alega que foi vítima de um golpe para afastá-lo de Três Lagoas. Ao renunciar a vaga Guerreiro disse que não assumiria mandato “emprestado” e que poderia fazer muito mais como oposição a atual administração em Três Lagoas.

Orro nega que tenha tramado algo e diz que se afastou com os 121 dias válidos para convocar suplente para não desfalcar a casa e não dizerem que estava de licença e utilizando o dinheiro do poder público.



Parabéns ao A.Guerreiro por desmascarar a farsa do deputado Orro. Em uma clara manobra para tentar tirar o favorito à prefeitura de TL do páreo e voltar de repente "a tempo" de evitar a posse e Gerson Claro, a população pode perceber a grande farsa. Espero que Gerson Claro não deixe isso passar em branco e exponha sua opinião, ajudando a população a esclarecer o jogo de Orro.
 
Fernando M. Oliveira em 09/11/2011 10:04:00
Realmente estranha essa licença. Não é de se estranhar, se lá no final se descobrir
que tem o dedo do Governador nessa historia, assim como teve na inexplicavel troca que Mariza Serrano fez, abandonando uma cadeira no Senado, por uma de Conselheira no TC, ou ainda, de Waldir Neves, que trocou uma promissora carreira na Camara Federal, por uma também cadeira no TC.
 
REINALDO PAES SANDIM em 08/11/2011 10:31:17
Como meu pai dizia:
_Safadeza pura...
Isso é vergonhoso para Aquidauana e Região.
Isso é vergonhoso para Mato Grosso do Sul.
Para o plítica então????
 
Mauro Marques em 08/11/2011 09:47:04
Que vergonha, não sei como pode o deputado Orro aceitar este tipo de manobra para prejudicar o vereador Guerreiro, Orro filho porque o Orro pai jamais aceitaria ser brinquedo nas mãos de politicos que quer ficar no poder a qualquer preço. FIQUE ESPERTO ELEITOR DE TRÊS LAGOAS........... FIQUE ESPERTO............KKKKKKKKKKKKKK
 
Aparecido Martins em 08/11/2011 09:00:42
O TIRO SAIU PELA CULATRA , QUERIAM TIRAR O VEREADOR DA BRIGA PELA PREFEITURA SE DEU MAL , A I DIZ QUE NÃO PRECISOU FICAR TODA LICENÇA , POR O PAI MELHOROU A VISTA FICOU BOA , PALHAÇADA , AINDA TEM GENTE QUE ACREDITA EM POLITICO.
 
ADRIANO PIRES em 08/11/2011 08:54:46
A história está muito complicada! De qualquer modo o povo tem o parlamentar que merece.
 
marcio antunes em 08/11/2011 07:47:57
So essa que faltava licença para acompanhar o pai, enquanto nos que trabalhamos em empresa privada, o atestado de acompanhamento de filho aceitam ate 12 anos, e olha lá. E muito tempo de licença. rsrsrsrs. e pra acabar.
 
Aparecida Romeiro em 08/11/2011 04:36:35
Não precisa ninguém denunciar a ma fé destes caras porque eles próprios acabam se denunciando, e pior, são capazes de usar elementos extremos para obter o que almejam. Não poupam sequer a saúde de familiares.
 
Pedro Selga em 08/11/2011 04:01:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions