A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 23 de Abril de 2018

10/01/2017 20:31

IMPCG ainda recebeu notificação sobre 'varredura' da Câmara Municipal

Nyelder Rodrigues e Alberto Dias

Quase uma semana após os vereadores da Capital decidirem e anunciarem auditar as contas previdenciárias do município por causa de indícios de irregularidades, o IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande) ainda não recebeu nenhuma notificação pedindo a abertura de dados do órgão.

De acordo com o diretor-presidente do Instituto, Lauro Davi, até o momento o máximo que ele recebeu foi a visita de dois vereadores - que ele preferiu não citar os nomes. A criação da Comissão Especial para Acompanhamento e Reestruturação do IMPCG foi anunciada na quinta-feira (5).

"Eu fico tranquilo e na certeza de que, o que eles pedirerem, será informado, até por que tanto o prefeito como eu assumimos agora", frisa Davi, que já presidiu a Cassems e está à frente do IMPCG desde o dia 2 de janeiro.

No ofício notificando sobre a apuração em comissão especial da Câmara Municipal, devem ser solicitados os livros fiscais da previdência campo-grandense, que atende aos servidores públicos municipais. Os diários que estarão sob análise são referentes ao período de 2010 a 2016.

"Como já fui parlamentar, sei que essas comissões tem o intuito de conhecer e se propõem a fazer o debate e aparece a luz. Em alguns casos dão saída boas, e se tiver coisa errada também aparece", comenta Davi, que exerceu o cargo de deputado estadual pelo PSB e também foi candidato à prefeito da Capital em 2016, pelo Pros.

Sobre as supostas irregularidades que serão investigadas, Davi frisa não crer que a princípio há "coisa errada" no IMPCG, porém segue cauteloso sobre o assunto. "Sem dados concretos nas mãos não dá pra dizer. Não dá para responder nada
ainda. Não tenho nada a esconder, é um órgão publico", responde.

Comissão - A comissão montada pelos vereadores quer apurar os motivos para a perda de R$ 300 milhões dos cofres da previdência municipal. A gestão anterior afirma que o déficit na arrecadação é o causador do "sumiço" do dinheiro.

Conforme a relatora, a vereadora Cida Amaral (PTN) os ofícios seriam encaminhados ao Instituto até segunda-feira (9). Além dela, o grupo conta com a participação de Jeremias Flores (PT do B), William Maksoud (PMN), Livio Leite (PSDB), sendo presidido pelo por Hederson Fritz (PSD).

Nesta quarta-feira (11), a comissão deve apresentar o cronograma e detalhes das próximas ações. O encontro está marcado para às 9h, no Plenarinho Edroim Reverdito. "Na próxima reunião vamos alinhavar como será a metodologia de trabalho", explicou Cida, na semana passada.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions