ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 27º

Política

Jaime Verruck 'cola' em Tereza Cristina para entrar em chapa proporcional

Com PSDB inchado na disputa para deputado federal, articulações já prevêem acordos para ano que vem

Por Gabriela Couto | 11/07/2021 11:17
Secretário de Estado de Meio Ambiente, Jaime Verruck, durante evento partidário no Diretório Estadual do PSDB (Foto Paulo Francis)
Secretário de Estado de Meio Ambiente, Jaime Verruck, durante evento partidário no Diretório Estadual do PSDB (Foto Paulo Francis)

Apesar das Eleições 2022 estarem longe, os partidos políticos já fecham acordos para garantir nomes importantes na disputa pelas vagas disponíveis. Prova disso é a articulação que o PSDB já fez com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

A deputada federal do DEM licenciada para exercer a função no governo federal é pré-candidata a senadora no ano que vem. Apenas uma vaga para o Senado será disputada nas urnas, a de Simone Tebet (MDB).

Conforme o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, o grupo do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) já acordou com a ministra aliança em 2022.

Ele está no aguardo da definição de Tereza para seguir o partido da ministra e participar da chapa proporcional de deputado federal. "Como a chapa do PSDB já está muito forte e eu não sou filiado a nenhum partido, vou seguir a escolha da ministra para disputar a proporcional", revelou Verruck ontem (10) durante evento no Diretório Estadual tucano.

A ministra tem até abril do ano que vem, quando abre a janela partidária, para definir se fica no DEM ou troca de legenda. Ela ainda aguarda orientação nacional. Lembrando que dentro do partido dela, o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta que se viabilizar como terceira via na sucessão de Jair Bolsonaro (sem partido). No entanto, Tereza Cristina faz parte da ala democrata que apoia o governo federal.

Verruck destacou que o governador Reinaldo Azambuja deve participar da disputa por uma vaga em Brasília (DF), além dos já deputados federais tucanos que são detentores de três cadeiras e devem buscar a reeleição: Rose Modesto, Beto Pereira e Geraldo Resende (licenciado para o cargo de secretário de Estado de Saúde e que deixou a cadeira com a suplente Bia Cavassa).


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário