A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Agosto de 2017

24/03/2014 17:25

Júlio Cesar se dá poderes e quer nomear novos diretores na OAB/MS

Josemil Arruda
Júlio quer nomear novos diretores e conselheiros depois da renúncia coletiva (Foto: arquivo)Júlio quer nomear novos diretores e conselheiros depois da renúncia coletiva (Foto: arquivo)

O presidente da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MS), Júlio Cesar Rodrigues, resolveu incorporar poderes quase ditatoriais para recompor a Diretoria da entidade e o Conselho Estadual. Durante reunião, no final da manhã, com funcionários da Ordem, ele informou que vai nomear quatro novos diretores e titulares para o Conselho Seccional a fim de garantir a governabilidade da entidade, comprometida com a “renúncia coletiva” de mais de 80 dirigentes.

“Já vou tomar providência que é provisoriamente indicar os conselheiros estaduais que ocupem vagas e principalmente da Diretoria”, afirmou Júlio Cesar, durante a conversa com os funcionários da OAB. “Vou indicar para suprir ausência de quatro diretores e conselheiros, provisoriamente, porque assim me permite o regramento legal”, argumentou, sem citar, porém, qual o dispositivo do Estatuto da OAB que lhe permitiria essa manobra.

Júlio Cesar admitiu, durante a reunião, suas limitações para dar conta de governar a Ordem, vendo por isso a necessidade de nomear novos diretores. “Não sou nenhum super homem. Não poderia suprir, trabalhando de manhã, à tarde e à noite”, afirmou ele, ao lado de dois advogados que lhe são fiéis e que podem integrar a Diretoria nomeada, Tatiana Ujakow e José Belga Trad. “Minhas costas são largas, mas não agüento tanto peso”, declarou.

As especulações são de que Júlio Cesar vai indicar amanhã Carlos Magno Couto para vice-presidente da OAB-MS, Gustavo Tolentino para tesoureiro-geral, José Belga Trad para secretário-geral e Tatiana Ujakov para secretária-geral adjunta. O ex-secretário-geral adjunto Jully Heyder confirmou há pouco que esses nomes estão sendo cotados. “Essa conversa também chegou para nós”, admitiu.

Os futuros diretores a serem “nomeados” por Júlio Cesar têm estreita ligação com ele. Carlos Magno chegou a se envolver numa briga com Carmelino Resende, ex-presidente da OAB-MS, durante reunião do conselho, inclusive tendo havido registro de ocorrência policial em razão daquele episódio. Também há entre eles um conselheiro que tem ligação com um site, que receberia verbas publicitárias da Ordem.

Tranquilizando funcionários – Na reunião desta manhã, Júlio Cesar tentou tranqüilizar os funcionários da OAB-MS, surpreendidos com a renúncia coletiva de mais de 80 dirigentes e conselheiros. “Quero pedir que continuem exercendo suas atividades normalmente”, pediu o presidente.

Lembrando que o vínculo empregatício deles é com a OAB e não com os diretores da entidade, Júlio Cesar observou que há uma grande demanda de serviços e que os advogados precisam continuar tendo seus pleitos atendidos pela entidade. Pediu pela “estabilidade corporativa” e que os funcionários “não entrem nessa questão política”.




É lamentável o nível de influência política na OAB/MS - o que acaba norteando os rumos de uma instituição que deveria ser apolítica.
Alguém aí acha que a tal de 'renúncia coletiva' foi simplesmente um ato altruísta da diretoria?
 
Juvenal Coelho em 25/03/2014 08:55:04
Q coisa horrivel o que ele esta fazendo com a OAB....Advogados cade vcs????
 
GILBERTO P PEREIRA em 24/03/2014 17:53:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions