A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 17 de Outubro de 2018

03/10/2018 11:19

Kátia Abreu concorda com Ciro e diz que #elenão favoreceu Bolsonaro

A senadora vice de Ciro Gomes (PDT) está em Campo Grande em agenda política de campanha

Izabela Sanchez e Leonardo Rocha
A senadora e candidata à vice-presidência pelo PDT, Kátia Abreu (Henrique Kawaminami)A senadora e candidata à vice-presidência pelo PDT, Kátia Abreu (Henrique Kawaminami)

Candidata à vice-presidência do Brasil pelo PDT, a vice de Ciro Gomes, Kátia Abreu, está em Campo Grande e afirmou, nesta quarta-feira (3), que o movimento #elenão, que levou milhares de mulheres às ruas contra o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL), foi um erro. A senadora declarou que concorda com Ciro e alega que o movimento ganhou estigma de ser “petista”.

“Concordo com Ciro porque do ponto de vista político foi interpretado como um movimento petista e não como um movimento das mulheres. O PT é culpado por isso, por fazer essa junção nas redes sociais, o que deturpou a manifestação. Entendo que por isso, no final das contas, os resultados não foram positivos, pelo contrário”, declarou.

Kátia Abreu ainda afirmou que Ciro defende o direito das mulheres, “principalmente em relação ao respeito que as mulheres precisam ter na sociedade”.

Ponto de equilíbrio – A candidata afirma que Ciro é o ponto de equilíbrio de uma eleição polarizada. “Ciro é o candidato que pode trazer paz em um país dividido entre aqueles que não querem o Bolsonaro nem a volta do PT”, opina.

A senadora defende que Ciro é o único candidato preparado para "conduzir reformas e retomar a economia". Haddad ou Bolsonaro, explica, caso sejam eleitos, teriam dificuldades de governar junto ao Congresso. O PT, afirma, ainda enfrenta muitas denúncias de corrupção e Bolsonaro teria dificuldades por apresentar uma pauta contra minorias.

“O candidato que conseguiria dar paz seria o Ciro Gomes. Apesar das pesquisas mostrarem o contrário, tem muita gente ainda pensando se não é melhor escolher o candidato do centro até doming, ao invés de ficar divido entre a esquerda e a direita”.

Propostas – Ciro Gomes, defende, quer fortalecer o trabalho da polícia militar em parceria com os estados, investindo em treinamento, custeio e inteligência. Kátia Abreu ainda afirmou que não quer “confronto entre policiais e bandidos de forma desorganizada”. A senadora afirma que a violência contra as mulheres é um dos focos da campanha de Ciro.

O candidato, defende, quer reduzir as taxas de feminicídio. Ela afirma que em muitos Estados as estatísticas não são claras. “Para um país ser desenvolvido precisa diminuir a violência contra as mulheres”, afirma. Ela ainda declarou que as mulheres precisam ter mais casa de apoio, que realizem acolhimento e ofereçam oportunidades de trabalho para as mulheres vítimas de violência.

SPC - A bandeira mais ventilada pelo candidato são as pessoas que tem o nome cadastrado no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito). Ela afirma que em todo país são 63 milhões com dívidas no cadastro, e em Mato Grosso do Sul, 44% da população adulta. Kátia afirma que a proposta não é “retirar o nome, mas sim facilitar o pagamento da dívida”.

Uma população que pode comprar, defendeu, aquece a economia do país, aumenta as vendas e faz com que as indústrias cresçam mais.

Kátia Abreu ainda ressaltou que em todas as pesquisas Ciro venceria Bolsonaro e Haddad no segundo turno. “Muitas pessoas estão definindo o voto por medo, ou medo do PT ou medo do Bolsonaro. As pessoas precisam saber que o Ciro é esse candidato”, defende.

Bancada Ruralista – Cerca de 300 deputados, representados principalmente pela bancada ruralista do Congresso, declararam apoio à Bolsonaro. Membro da bancada e defensora notória do agronegócio, Kátia Abreu afirmou que a bancada declarou o voto “de uma forma mais empurrada do que por convicções”.

Ela afirma que a bancada viu, em Bolsonaro, uma defesa mais intensa da propriedade privada. Para ela, no entanto, Ciro também defende a propriedade e o Estado de Direito. Ela afirma que a chapa quer uma solução negociável dos conflitos no campo, com indenização das terras para os fazendeiros, reforma agrária, além de evitar as invasões.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions