ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  20    CAMPO GRANDE 20º

Política

Loester Trutis é processado por calote em aluguel de carro de luxo com blindagem

Deputado federal pediu reembolso dos gastos à Câmara, mas não pagou a locadora, que cobra a dívida

Por MS em Brasília | 07/10/2021 16:15
Deputado federal Loester Trutis: alugou, usou e não pagou por carro, mesmo recebendo valor da Câmara dos Deputados. Foto: Agência Câmara
Deputado federal Loester Trutis: alugou, usou e não pagou por carro, mesmo recebendo valor da Câmara dos Deputados. Foto: Agência Câmara

O deputado federal Loester Carlos Gomes de Souza, o Trutis (PSL), responde a uma ação de cobrança, ajuizada pela empresa Suprema Locadora e Turismo Ltda, localizada em Brasília.

Impetrada na 4ª Vara Cível da capital federal em 4 de abril deste ano, a ação nº 0710837-69.2021.8.07.0001 cobra o pagamento de três meses de aluguel de um veículo modelo Azera 3.0, blindado, marca Hyundai, no montante de R$ 21.000,00.

A locadora cobra ainda valores proporcionais referentes a fevereiro de 2020 e a janeiro de 2021, de R$ 3.753,05, além de R$ 1.208,00 relacionados a danos constados em vistoria realizada após a devolução do veículo.

Trecho da inicial da ação de cobrança movida contra o deputado federal Loester Carlos Gomes de Souza, o Trutis (PSL)
Trecho da inicial da ação de cobrança movida contra o deputado federal Loester Carlos Gomes de Souza, o Trutis (PSL)

Constam também do processo três multas de trânsito, no total de R$ 675,32, infrações cometidas durante o período de utilização do carro. Com isso, as dívidas, somadas, alcançam R$ 26.636,37, sem multa e correção.

Na ação, a parte credora explica que, em 21 de fevereiro de 2020, assinou contrato para locação de veículo de luxo com o deputado federal pelo período de um ano.

Trecho do processo judicial
Trecho do processo judicial

Segundo o documento, o valor de R$ 7.000,00 deveria ser pago até o décimo dia útil de cada mês. “Ocorre que, durante a vigência do contrato, o locatário descumpriu por diversas vezes sua obrigação de pagar o preço do aluguel na data estipulada”, descreve a ação.

A empresa afirma que, a partir de agosto do ano passado, fez várias cobranças sobre os atrasos no pagamento das faturas mensais. Em dezembro, encaminhou mensagem ao parlamentar pedindo a devolução do carro, o que só ocorreu em 7 de janeiro de 2021.

Trecho do processo
Trecho do processo

Sumiço

Desde maio passado, os oficiais de Justiça tentam, sem sucesso, notificar o deputado. Com a volta das sessões presenciais na Câmara dos Deputados, a expectativa é que Trutis seja finalmente notificado e passe a responder a ação de cobrança. Apesar disso, a empresa afirma que o parlamentar tem conhecimento do processo.

O MS em Brasília apurou que o deputado pediu à Câmara dos Deputados reembolso das notas fiscais, emitidas pela locadora em outubro, novembro e dezembro (ver reproduções abaixo). Os documentos, juntos, somam R$ 21.000,00. Trutis recebeu esse valor, mas não pagou pela locação do veículo de luxo.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

O deputado foi procurado, mas não respondeu aos questionamentos feitos por meio de e-mail encaminhado às 11 horas desta quinta-feira (10 horas de Mato Grosso do Sul) para o seu gabinete em Brasília.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário