A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

18/02/2014 15:00

Moção contra ministro por restringir exame da mama causa polêmica na Câmara

Edivaldo Bitencourt e Kleber Clajus
Vereadores tiveram debate acalorado por causa de restrição nos exames de mamografia (Foto: Kleber Clajus)Vereadores tiveram debate acalorado por causa de restrição nos exames de mamografia (Foto: Kleber Clajus)

Causou polêmica, nesta terça-feira (18), a votação de uma moção de protesto pelos vereadores contra o Ministério da Saúde, que restringiu os exames de mamografia. Até bancada petista rachou e se envolveu em um debate sobre a polêmica.

A moção de protesto, apresentada pela vereadora Luiza Ribeiro (PPS) e pelo vereador Ayrton Araújo (PT), foi aprovada por 18 votos a 2. Só votaram contra os petistas Zeca do PT e Marcos Alex (PT).

A Câmara Municipal se revoltou contra a Portaria 1.253/2013, que restringe a realização de exames a mulheres com mais de 49 anos. Para as pacientes mais novas, o exame só será permitido no caso de estar com a doença.

Para Luiza, a medida prejudica um direito das mulheres, que deveriam ter acesso aos exames pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

O vereador Zeca do PT, que foi governador por dois mandatos, votou contra a moção e defendeu a medida do ministro da Saúde da época, Alexandre Padilha. Ele disse que o ministro apenas reordenou o sistema e fechou o ralo por onde ia o dinheiro público.

O petista não poupou nem o colega de partido, que assinou a moção. “É estranho um vereador do PT votar contra um ministro do partido”, ressaltou.

Ele disse ainda que o CFM (Conselho Federal de Medicina), que condenou a portaria, é uma entidade “atrasada” e “reacionária”.

Araújo rebateu na hora. “Não votei contra o PT, mas o que as mulheres conquistaram por direito”, destacou.

O líder do prefeito, Marcos Alex, disse que a portaria está sendo mal interpretada. Ele defendeu mais cuidado no debate.

Número de mamografias em Mato Grosso do Sul cresce 18% em 2012
Em Mato Grosso do Sul, o número de mamografias feitas através do SUS (Sistema Único de Saúde) aumentou 18% este ano em relação ao primeiro semestre d...
Tribunal marca julgamento da apelação de Lula para janeiro de 2018
O Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, marcou para 24 de janeiro de 2018 o julgamento da apelação do ex-presidente ...


Votar a favor dos direitos conquistados pelas mulheres, não significa ou pelo menos deveria significar votar contra partido, senhor Zeca do PT. Afinal, todos os partidos dependem do voto do povo. Portanto, é dever de todos os políticos, independente de partido, proteger e criar novas leis para defender os direitos das pessoas. E só para finalizar, a maioria das pessoas vota no candidato e não no partido. Pense nisso!
 
Marlene Alves de Souza em 19/02/2014 15:56:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions