A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Agosto de 2017

16/02/2014 15:15

Paulo Duarte adverte PT nacional sobre “aliança por conveniência” em MS

Kleber Clajus
Duarte vai a São Paulo afinar discurso com partido para as eleições deste ano (Foto: Cleber Gellio / Arquivo)Duarte vai a São Paulo "afinar discurso" com partido para as eleições deste ano (Foto: Cleber Gellio / Arquivo)

O presidente regional do PT (Partido dos Trabalhadores), Paulo Duarte, tem reunião marcada para amanhã (17), às 9h, com o presidente nacional do partido, Rui Falcão. Durante o encontro, na sede em São Paulo (SP), ele pretende advertir a direção sobre o risco de uma “aliança por conveniência”, seja ela nacional ou local. Ele também lembra que uma aproximação com o PMDB no Estado deve ser encarada com “cuidado”.

Ao justificar a ida sozinho a São Paulo, sem a presença do pré-candidato ao governo do Estado, Delcídio do Amaral, Duarte comenta que o senador tem outro compromisso agendado, mas garante que eles estão em “sintonia” e os encontros com a executiva serão constantes. Nesse sentido, Delcídio deve se reunir em breve com Rui Falcão, a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, também na Capital paulista.

“Vamos estabelecer linha de diálogo muito forte com a Executiva Nacional, até porque, não tem como deixar de observar questões regionais. As alianças têm que estar em sintonia com aquilo que a população pensa e não simplesmente por conveniência política, seja da direção nacional do partido ou daqui”, pontua Duarte, que também é prefeito de Corumbá.

Nos bastidores, há quem aponte que a aliança nacional seja também concretizada no Estado, uma vez que o PMDB ocupa vice-presidência com Michel Temer na administração de Dilma Rousseff. Com isso, petistas e peemedebistas podem vir a ocupar o mesmo palanque.

Outro fator que pode fazer a diferença na construção política é o governador André Puccinelli (PMDB) assumir uma candidatura ao Senado. Por enquanto, o PMDB tem Simone Tebet, mas a pressão interna para que alavanque o partido é grande, o que pode alterar as “peças no tabuleiro” político.

“É óbvio que se você olhasse do lado do governo Federal ele vai dizer que aliança com o PMDB [é favorável], mas nós temos que mostrar que a aliança não pode ser tanto pela conveniência e não se esquecer de estar sintonizada com a população”, ressalta o dirigente regional do PT.

Duarte deixa claro que o esforço maior do partido se concentra em torno do pré-candidato Delcídio do Amaral e que o momento é de “não errar nas alianças”. “Vamos alinhar os discursos e atitudes daqui para frente”, esclarece.




Até que enfim uma voz sensata nesta união esdrúxula que se imagina!
 
LUIZ CARLOS em 16/02/2014 16:06:58
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions