A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

07/07/2013 16:01

PDT volta a se afastar do PMDB no Estado e já flerta com o PT

Zemil Rocha
Delcídio ao lado de Schimidt em noite de filiação de ex-petista ao PDT (Foto: João Prestes)Delcídio ao lado de Schimidt em noite de filiação de ex-petista ao PDT (Foto: João Prestes)

Sem ocupar cargos no governo de André Puccinelli (PMDB) e com este tendo decidido não se candidatar ao Senado nas eleições de 2014, o PDT começa a se aproximar mais do projeto político do senador Delcídio do Amaral, pré-candidato do PT à sucessão estadual. A presença de Delcídio na solenidade de filiação de Valter Pereira, que estava deixando a legenda petista, na última sexta-feira revela claramente a ação mais incisiva do PT em busca do apoio do PDT.

Logo ao chegar ao evento, porém, Delcídio tentou descartar a real intenção de se aproximar do PDT, que foi aliado dos petistas durante os oitos anos do governo de Zeca do PT, mas migrou para o lado do PMDB no ano passado, com o ex-deputado federal Dagoberto Nogueira Filho tendo se candidatado a vice-prefeito na chapa encabeçada pelo peemedebista Edson Giroto, atual secretário estadual de Obras.

“Estou aqui para prestigiar um colega do Senado, o Cristovam Buarque”, declarou ao jornalistas que cobriam o ato de filiação de Valter Pereira, de seu filho, Humberto Pereira, que deixou o PP de Alcides Bernal, e o pastor Antônio Dionízio. Indagado sobre o fato de estar prestigiando um ato, que normalmente seria avaliado com ruim para o PT, seu partido, Delcídio insistiu: “Estou aqui por causa do Cristovam Buarque”.

Na mesa dos trabalhos de filiação, Delcídio ocupou lugar de destaque, sentando-se ao lado do presidente regional do PDT, João Leite Schimidt, que desde 1998 tem uma relação muito próxima com os petistas. Foi mais uma sinalização de que PDT e PT podem voltar a se unir em 2014.

Outro dado relevante é o fato de Valter Pereira ter se filiado ao PDT por não ver mais chance de aliança eleitoral com o PMDB no ano que vem. Na eleição de 2010, em decorrência do apoio do governador André Puccinelli a Waldemir Moka, que acabou sendo eleito senador, Valter Pereira rompeu com os peemedebistas após um longo período de militância, nascida quando o partido ainda se chamava MDB (Movimento Democrático Brasileiro).

Há ainda o esforço de Delcídio em manter um relacionamento muito próximo com o ex-deputado federal Dagoberto Nogueira Filho, principal liderança do PDT no Estado. O senador recuperou oito emendas de autoria de Dagoberto Nogueira (PDT) ao Orçamento da União de 2010, no começo deste ano. As emendas destinaram R$ 7,3 milhões para sete municípios comandados por prefeitos filiados ao PDT em Mato Grosso do Sul. 

 

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions