A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

24/02/2015 13:47

PMDB estuda se afastar, mas continua líder de Olarte na Câmara

PMDB quer se afastar, mas ainda representa Olarte na Câmara

Kleber Clajus
Mesmo que alegue não ter cargos, decisões individuais vinculam partido a administração de Olarte (Foto: Alcides Neto)Mesmo que alegue não ter cargos, decisões individuais vinculam partido a administração de Olarte (Foto: Alcides Neto)

Mesmo que o PMDB busque se desvincular da administração do prefeito Gilmar Olarte (PP), a sigla ainda possui vereador como líder do progressista na Câmara Municipal de Campo Grande. Dessa forma, o inevitável afastamento em torno de projeto político para 2016 esbarra em decisões individuais que mantém apoio dos parlamentares por “convicção”.

Edil Albuquerque até estuda deixar a liderança de Olarte, porém condiciona o processo a aprovação de 15 projetos de incentivos fiscais a empresas por ele deixados quando titular da Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Turismo e Agronegócio).

Líder municipal do partido, Carla Stephanini, pontua que decisões individuais como a de Edil trazem consequências negativas em um momento onde a “administração não vem dando respostas a altura de Campo Grande e diante de seus equívocos”. O ideal, nesses casos, seria que as definições passassem pela chancela do diretório antes de se concretizar.

Com sete vereadores, o PMDB figura como principal aliado de Olarte no Legislativo. A explicação do presidente da Câmara Municipal, Mario Cesar, está em um “apoio por convicção” de que a administração pode dar certo, porém diante de uma população insatisfeita com a falta de resolutividade o limite para iniciar mudança de posicionamento está cada vez mais perto.

Vanderlei Cabeludo, que lidera a bancada na Casa de Leis, complementa que a situação “está no limite, mas ainda é necessário tempo para avaliar e se tomar decisão com razão”.

Em tempos de construção política para as eleições do próximo ano, o PMDB possui de lideranças estaduais, como o deputado federal Carlos Marun e o estadual Eduardo Rocha, indicativo que afastar-se será o melhor caminho na construção de candidatura própria.

Porém, mesmo que o discurso se encaminhe para o afastamento e tenha por base o fato de “não ter cargos” na administração de Olarte não se pode desconsiderar a influência de Edil, direta ou indiretamente, no funcionamento da Sedesc, de Paulo Siufi que teve a prima Lilliam Maria Maksoud indicada para comandar o IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande), bem como Mario que admite ter reforçado atributos técnicos para nomeação de Ricardo Vieira Dias, titular da Semre (Secretaria Municipal de Receita).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions