ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 26º

Política

Pré-candidato a prefeito, vereador André vai trocar Rede pelo PRD

Partido comandado por Delcídio do Amaral quer alianças para concorrer às prefeituras da Capital e de Corumbá

Por Caroline Maldonado | 29/02/2024 09:23
Pré-candidato à prefeitura da Capital, vereador André Luís Soares da Fonseca, o “Prof. André”. (Foto: Divulgação/CMCG)
Pré-candidato à prefeitura da Capital, vereador André Luís Soares da Fonseca, o “Prof. André”. (Foto: Divulgação/CMCG)

Apesar de ter lançado pré-candidatura à prefeitura da Capital pelo partido Rede Sustentabilidade, o vereador André Luís Soares da Fonseca, o “Prof. André”, vai para o PRD (Partido Renovação Democrática). No comando do novo partido, que surgiu da fusão entre Patriota e PTB (Partido Trabalhista Brasileiro), o ex-senador Delcídio do Amaral diz que está buscando outros partidos para compor aliança, tanto para a disputa à prefeitura da Capital, quanto à de Corumbá, onde ele mesmo é o pré-candidato a prefeito.

O vereador poderá mudar de partido somente na janela partidária, entre 7 de março e 5 de abril, período em que os parlamentares podem trocar de partido sem perder o mandato que conquistaram na sigla de origem. Por isso mesmo, André evita falar sobre a mudança por enquanto, mas também não nega a troca.

Na última eleição em 2022, quando foi candidato a deputado estadual, André fez críticas ao Rede pela falta de recursos às candidaturas daquele pleito e, desde então, vem demonstrando insatisfação com o partido.

Delcídio evita referir-se ao vereador como pré-candidato a prefeito justamente para evitar complicações com relação ao mandato do parlamentar, mas afirma que André será muito importante para o PRD e os planos são lançar ainda outros nomes “fortes” na disputa para vereador, em um projeto “sem caciques”.

“Nós estamos guardando bons projetos e especialmente com relação a ele [André], que é um cara de alto nível e a política precisa de alguém com o perfil intelectual e a qualidade pessoal que ele tem. Com relação à chapa, estamos conversando com outros partidos e não há dúvida nenhuma de que nós vamos fazer alianças em Campo Grande”, diz Delcídio.

Ele não revela nomes e adianta que alguns políticos com mandato vão para o PRD em busca de reeleição para vereador. “Eles vão ter que trocar de partido e se eu me adiantar, acho que exponho demais essas lideranças, mas a população vai se surpreender com os nomes que estão se apresentando no PRD”, diz.

Apesar da pré-candidatura em Corumbá, Delcídio diz que o partido vai avaliar qual é a melhor alternativa. “Estou à disposição, mas a minha prioridade é montar o partido no Estado”, afirma.

O ex-senador garante que o PRD não terá “cacique” e por isso terá condições de investir nas campanhas de modo igualitário. “Não somente o fundo partidário, mas especialmente o fundo eleitoral e como é um partido que não tem ‘cacique’ dá para gente fazer um trabalho bom junto a Nacional para ter uma estrutura compatível com o projeto que nós temos nos municípios e no Mato Grosso do Sul”, diz.

Prefeitura da Capital - A corrida tem seis pré-candidatos. Além da prefeita, Adriane Lopes (PP) e do vereador André, já são pré-candidatos o deputado federal Humberto Pereira, o “Beto Pereira” (PSDB); o vereador e presidente da Câmara Municipal, Carlos Augusto Borges, o "Carlão" (PSB); a deputada federal Camila Jara (PT) e o deputado estadual Pedro Pedrossian Neto (PSD).

A superintendente de Desenvolvimento do Centro-Oeste, Rose Modesto (União), não lançou seu nome oficialmente, mas já reuniu-se com Carlão e propôs aliança, na semana passada.

O ex-governador André Puccinelli (MDB) já disse que tem interesses em participar de alguma forma das eleições e "tem conversas e um compromisso com Rose de não tomar nenhuma decisão sem definirem juntos".

Adriane também busca apoio do procurador do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), Sérgio Harfouche, que ficou no segundo turno defendendo bandeiras conservadoras, muito semelhantes as dela, na disputa pela prefeitura em 2020.

O PDT (Partido Democrático Trabalhista) prevê colocar o deputado estadual Lucas de Lima (PDT) na concorrência.

Nos siga no Google Notícias