A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

08/11/2011 13:45

Puccinelli faz reunião sigilosa com líderes na Assembleia Legislativa

Wendell Reis

O governador André Puccinelli (PMDB) tomou café da manhã com alguns deputados antes da sessão desta terça-feira (8) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. A reunião avaliada como informal pelos participantes foi marcada por informações desencontradas dos parlamentares. Sem querer falar muito, alguns deputados acabaram revelando partes do encontro.

O deputado Diogo Tita (PPS) falou que o governador veio tomar café com os deputados e limitou-se a informar que a visita foi realizada para dizer que não emendaria a próxima segunda-feira (14) com o feriado da Proclamação da República, comemorado na terça-feira (15). A justificativa seria de que os servidores já emendaram muitos feriados.

Marquinhos Trad (PMDB) não participou da reunião, mas informou que alguns colegas lhe relataram que o governador teria pedido para os deputados mais próximos vetarem o projeto que garante aumento no desconto e nas parcelas do IPVA. O projeto foi aprovado em primeira votação, mas ainda deve ser levado a segunda. O governador já declarou que vai vetar se for aprovado.

O deputado Eduardo Rocha, líder do PMDB na Casa, disse que o governador não tinha feito reunião, mas depois voltou e informou que apenas tomou café com os deputados. Entre os assuntos, segundo Rocha, estava o orçamento. O governador teria pedido para os deputados adiantarem a apresentação de emendas.

O líder do PT na Assembleia, deputado Cabo Almi, revelou que o governador fez uma reunião informal, sem grandes temas. Mas, confidenciou que entre os assuntos estava a liberação das emendas. Segundo Almi, o governador prometeu um evento no dia 17 de novembro para assinar contratos para liberação, com a promessa de depositar o dinheiro no dia 17 de dezembro. As emendas são recursos do orçamento estadual, atualmente com valor de R$ 800 mil por deputado, que são distribuídos a entidades assistenciais escolhidas pelos deputados.



Se os Dep. tem essa grana toda para ajudar algumas entidades, por que será que as entidades ficam ligando em nossas casas pedindo ajuda? Quem fiscaliza aplicação desses recursos. Eu quero saber, pois esse dinheiro vem do suor dos trabalhadores pagos em impostos.
 
gloria aparecida em 08/11/2011 02:39:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions