ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 33º

Política

TRE-MS faz treinamento em urnas adaptadas para deficientes

Urnas terão intérprete de libra, mudanças nas teclas "branco", "corrige" e "confirma", e melhoria no som

Izabela Cavalcanti | 20/09/2022 11:49
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Márcio Ximenes foi o primeiro a realizar o treinamento, no Ismac (Foto: Izabela Cavalcanti)
Márcio Ximenes foi o primeiro a realizar o treinamento, no Ismac (Foto: Izabela Cavalcanti)

As eleições 2022 terão melhorias de acessibilidade para as pessoas com deficiência visual e auditiva. Para isso, o TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) fez treinamento nesta terça-feira (20), junto ao Ismac (Instituto Sul-Mato-Grossense para Cegos Florivaldo Vargas), para apresentar as novas adaptações.

No caso dos deficientes visuais, foi melhorado o som, sendo mais objetivo, dizendo tudo o que está escrito na tela, além de ter mudado as teclas “branco”, “corrige” e “confirma” para a lateral da urna. Para os deficientes auditivos, foi implementado um intérprete de libras.

Em Mato Grosso do Sul, dez municípios irão usar o modelo 2020, com a alteração nas teclas. Entram para a lista: Campo Grande, Dourados, Douradina, Itaporã, Laguna Carapã, Sidrolândia, Fátima do Sul, Jateí, Vicentina e Terenos.

“Em relação aos surdos, houve uma inovação, nós teremos um intérprete de libras dizendo quais são os cargos que esse eleitor está votando. Nós tivemos uma alteração no modelo de urna, a diferença é o posicionamento das teclas, que antes era abaixo dos números. Isso ajuda muito porque a gente sabe da dificuldade que essas pessoas tem de manusear essa urna”, explicou o diretor-geral do TRE-MS, Hardy Waldschmidt.

Novo modelo de urna, com as teclas "branco", "corrige" e "confirma" na lateral da urna (Foto: Izabela Cavalcanti)
Novo modelo de urna, com as teclas "branco", "corrige" e "confirma" na lateral da urna (Foto: Izabela Cavalcanti)

O primeiro a praticar o treinamento foi o pedagogo e diretor-presidente do Ismac, Márcio Ximenes Ramos. “A acessibilidade está ótima. Você consegue ouvir o passo a passo em quem está votando. Com bastante segurança, você não fica com dúvida, podendo confirma o seu voto sem problema nenhum”, comemora.

A professora e presidente do Consep-MS (Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência), Flávia Ortiz, representou os deficientes auditivos no treinamento.

“Antigamente tinha a questão de legenda, mas muitos surdos não conseguem entender o Português mesmo, então tinha essa dificuldade. Agora com o direito de as urnas serem mais visuais, fica mais fácil tendo essa visibilidade melhor e esse entendimento mais claro”, destaca.

Conforme dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), até agosto de 2022, Mato Grosso do Sul tinha 3.086 eleitores com deficiência visual e 2.129 com deficiência auditiva.

Nos siga no Google Notícias