ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 27º

Política

Vereador é acusado de homofobia ao citar ‘primeiro-damo’ do RS

Parlamentar nega preconceito e diz não ter atacado Eduardo Leite, governador do Rio Grande so Sul

Por Natália Olliver | 17/05/2024 13:25

O vereador Sérgio Nogueira (PP), de Dourados, município a 250 quilômetros de Campo Grande, teve uma fala considerada homofóbica, em sessão da câmara dos vereadores, desta terça-feira (14), masa cena só 'ganhou' as redes sociais nesta sexta-feira (17). O comentário aconteceu ao negar Pix de ajuda ao governo do Rio Grande do Sul.

Segundo o parlamentar, a gestão de Eduardo Leite, chefe administrativo do Estado afetado pelas enchentes está longe da ideal. No discurso, Sérgio critica a postura de Eduardo e completa dizendo que o político está mais preocupado com o ‘primeiro-damo’, o médico Thalis Bolzan.

“Foi falado aqui por alguns vereadores de mandar dinheiro ao Rio Grande do Sul. Cadê esse governador do Rio Grande do Sul? O senhor não receberá um pix meu, posso mandar pra Apae, para Pestalozzi, para os gaúchos sérios, mas para o senhor não. O senhor está preocupado com o seu primeiro-damo ai no seu governo”.

O vereador se defende e diz que não é homofóbico e que a fala também não foi, já que não atacou diretamente o governador. “Não sou homofóbico. Não ataquei a pessoa dele. Eu quis dizer sim sobre o pedido de PIX para o governo do Estado do RS e a administração pífia dele acerca da situação em que se encontra atualmente o Estado”.

Sérgio ressalta que após a fala descobriu que o termo usado ‘primeiro-damo” não existe e que o correto é primeiro-cavelheiro. “Hoje pesquisando percebi que inexiste. Mas não foi usada intencionalmente com objetivo de ataque ou por ser homofóbico. Respeito as opções e orientações sexuais de cada cidadão, inclusive do governador do Rio Grande do Sul”

Ele explica que um líder que destina apenas R$ 50 mil para enchentes em 2024 está com descaso a respeito do enfrentamento de enchentes, soterramentos, desmoronamentos e tragédias ambientais.

“Aplicar esse orçamento para a defesa civil é um total descaso com o enfrentamento de calamidades previsíveis. Um governador que  há 5 anos e 4 meses que enfrentou alguma enchentes no RS, desmoronamentos, e colocou agora pra 2024 uma quantia irrisória pra tratar de enchentes. um governador que agora entra nas redes sociais e pede Pix pro governo".

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias