ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  20    CAMPO GRANDE 20º

Reportagens Especiais

Junto com obra gigante, delegado vê tráfico crescer e quer rédea curta em Ribas

Ele corre atrás de fugitivo e busca esclarecer de crime do PCC a furto de bombons na cidade

Por Aline dos Santos, enviada especial a Ribas do Rio Pardo | 17/09/2021 10:16
Delegado Bruno Santacatharina trocou São Paulo por Ribas do Rio Pardo. (Foto: Henrique Kawaminami)
Delegado Bruno Santacatharina trocou São Paulo por Ribas do Rio Pardo. (Foto: Henrique Kawaminami)

Delegado titular de Ribas do Rio Pardo há três anos, Bruno Santacatharina já constatou aumento no tráfico de drogas na cidade de 25 mil habitantes, que agora, sedia o maior canteiro de obra de investimento privado no Brasil.

Do estilo que corre atrás de bandido e se empenha em esclarecer de crimes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) a furtos de bombons em churrascaria, o delegado tenta trazer Ribas do Rio Pardo na chamada rédea curta.

Ele explica que é abastecido com dados preciosos por uma rede de informantes. Na cidade, a reportagem constatou que o contato “delegado” está salvo em muitos celulares.

São pessoas que não querem se identificar, mas acabam ajudando no nosso trabalho. Tenho muitos informantes na cidade, que passam informações cruciais para prisões em flagrantes”, afirma o delegado.

A lista dos crimes mais registrados em Ribas do Rio Pardo é encabeçada por furtos, seguido de violência doméstica e tráfico de drogas. Rota para São Paulo, a cidade agora registra a expansão das drogas no mercado doméstico. Em uma semana, foram três flagrantes em alojamento localizado no Bairro São Sebastião.

Canteiro de obras fica às margens da BR-262, a 10 km do perímetro urbano de Ribas. (Foto: Marcos Maluf)
Canteiro de obras fica às margens da BR-262, a 10 km do perímetro urbano de Ribas. (Foto: Marcos Maluf)

Um dos flagrantes foi no último dia 8, com a prisão de homem de 29 anos, contratado por empresa terceirizada que atua na construção da fábrica de celulose. Primeiro, o suspeito disse ser usuário e entregou uma trouxinha de 12 gramas de maconha. Na busca dentro do quarto, foram localizados um tijolo de maconha e R$ 200.

No dia 2 de setembro, foram presos outros dois homens no alojamento. Eles apareciam comercializando drogas em vídeo que circulou em grupos de WhatsApp da cidade. Na hora da prisão, um tentou escapar.

“Ao perceber que a ‘casa havia caído’, o homem de 25 anos saiu correndo, em desabalada carreira, sendo que o Delegado de Polícia o perseguiu na corrida, enquanto os demais policiais civis foram pegar a viatura para o auxílio na detenção. Depois de uns 100 metros de corrida, o suspeito cansou de correr e se entregou”.

Os detalhes da ocorrência foram divulgados em rede social do delegado. Além de foto dos materiais apreendidos, a postagem traz vídeo da viatura pela cidade, ao som de sirene ligada e rock a toda no rádio. Essa estética – gravações curtas, frase motivacionais e rock pesado – caiu no gosto dos policiais, marcando presença nas redes sociais de várias delegacias.

Em Ribas, crimes mais comuns são furto, violência doméstica e tráfico de drogas. (Foto: Marcos Maluf)
Em Ribas, crimes mais comuns são furto, violência doméstica e tráfico de drogas. (Foto: Marcos Maluf)

Ao ser aprovado no concurso da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, Bruno trocou a populosa capital São Paulo, onde era assessor de desembargador por Ribas do Rio Pardo, a 103 km de Campo Grande.

“No começo, estranhei. Como não era policial, tive dificuldade até pegar o serviço. Mas acabei acostumando, inclusive, gostando muito”, conta o delegado de 31 anos.

Nesta mudança de ares, ele se impressionou com a quantidade de casos de violência doméstica. “Tem toda semana, praticamente, todo dia. Uma das situações que mais acontece aqui. Acho que no Estado, principalmente, no interior, as pessoas têm essa cultura machista”, diz.

Durante o Agosto Lilás, campanha de conscientização pelo fim da violência contra a mulher, o delegado foi a canteiro de obras da fábrica e fez palestra sobre o tema aos trabalhadores.

Delegacia de Polícia Civil de Ribas do Rio Pardo registra aumento de casos de tráfico. (Foto: Marcos Maluf)
Delegacia de Polícia Civil de Ribas do Rio Pardo registra aumento de casos de tráfico. (Foto: Marcos Maluf)

Com o crescimento populacional da cidade, que deve receber 10 mil trabalhadores no pico da obra, previsto para o fim de 2022, a tentativa é manter a rédea curta. “Tem que ter postura mais firme, mais rígida. Senão, a situação foge do controle. Com poucos funcionários, conseguimos realizar uma boa atuação de combate à criminalidade”.

A Delegacia de Ribas do Rio Pardo tem oito investigadores, dois escrivães e um delegado. Com as férias do titular, um delegado de Campo Grande assume a cidade e se desloca até o município em casos urgentes.

Reforço na segurança – De acordo com o titular da Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública), Antônio Carlos Videira, o governo fez parceria com a Suzano para a construção de novo quartel da PM (Polícia Militar) e nova delegacia da Polícia Civil.

O secretário afirma que a cidade terá efetivo de segurança pública em  “número necessário”.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário