ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, SÁBADO  28    CAMPO GRANDE 22º

Direto das ruas

Consumidora denuncia recusa de posto de combustíveis em fazer teste de qualidade

Por Fabiano Arruda | 22/07/2011 11:06
Leitora recorreu a três órgãos para comunicar o problema.
Leitora recorreu a três órgãos para comunicar o problema.

Uma motociclista acusa posto de combustíveis, localizado na Rua Marechal Deodoro, no Jardim Leblon, em Campo Grande, de se recusar a fazer testes de qualidade e aferidor.

A leitora, que não será identificada, conta que há um mês abastece no mesmo posto e completa o tanque da motocicleta. Ela reclama que de dois a três dias a gasolina acaba numa quilometragem inferior à autonomia que a moto costuma oferecer.

Diante do consumo “anormal”, a motociclista diz que solicitou ao frentista do estabelecimento para fazer o teste do aferidor a fim de conferir as porcentagens da composição da gasolina e revela que o funcionário negou por duas vezes o procedimento.

A leitora diz que foi orientada pelo Inmetro a fazer o teste, que elucida as dúvidas do consumidor sobre a qualidade do produto.

Além de denunciar ao Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial), ela garante que recorreu também ao Procon/MS (Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor) e ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

“Além disso, por não aceitarem cartões, eles não disponibilizam nota que comprova o pagamento e o abastecimento. O que de novo infringe a lei do consumidor”, conta.

Segundo informações do Procon, caso fique constatada a recusa em realizar o teste para o consumidor, a empresa pode ser multada em valores que variam de R$ 300 e podem chegar a R$ 3 milhões, dependendo da reincidência.