A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 23 de Setembro de 2017

14/08/2017 16:54

Iagro confirma caso de raiva bovina em Amambai e alerta produtores da região

Osvaldo Júnior
Bovino morto, em decorrência da raiva; imagem ilustrativa (Foto: Divulgação)Bovino morto, em decorrência da raiva; imagem ilustrativa (Foto: Divulgação)

Uma preocupação a mais aos pecuaristas de Mato Grosso do Sul, em especial os da região da Grande Dourados: um caso de raiva foi confirmado no município de Amambai, a 360 quilômetros de Campo Grande, pela Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal ). Exame de amostra de bovino morto neste mês deu resultado positivo para a doença.

A ocorrência da enfermidade foi verificada, inicialmente, na fazenda Rancho Amambai, de Ramão Ney Magalhães, 82 anos. Ele conta que assim que percebeu a possibilidade da doença procurou a Iagro. “Morreram 11 bovinos adultos, quatro pequenos e um cavalo”, detalhou o produtor.

De acordo com Magalhães, em propriedades próximas, os pecuaristas também tiveram prejuízo. “Um vizinho aqui perdeu 28 bovinos. Outro perdeu 6. Aí tem outro que perdeu 8. Fora os que eu não fiquei sabendo”, disse. A doença, conforme informaram técnicos da Iagro a Magalhães, pode ser transmitida a animais em um raio médio de 15 quilômetros.

O inspetor local da Iagro em Amambai, Israel de Arruda Lobo Neto, informou que proprietários rurais do município da região foram orientados para vacinar seus rebanhos. De acordo com o inspetor, a vacinação deve ser feita de imediato e repetida 30 dias depois.

Neto explica que a raiva é uma zoonose, ou seja, pode ser transmitida também ao ser humano. Essa característica exige atenção especial à doença. No entanto, é praticamente nula a possibilidade de consumo da carne de bovino contaminado. “Os animais morrem, em geral, nas propriedades, e são incinerados. Não há risco de serem levados aos frigoríficos. E se isso ocorrer, o processo de vistoria nas indústrias é muito rigoroso”, assegura.

O inspetor explica que a doença é transmitida por morcego hematófago (que se alimentam de sangue). Devido à forma de transmissão (mordida dos morcegos), a raiva pode alcançar grande número de animais.

Neto acrescentou, ainda, que os animais contaminados apresentam sintomatologia nervosa, tendo, por exemplo, dificuldades para andar.

Técnicos da Iagro verificando propriedade de Itaporã (Foto: Divulgação)Técnicos da Iagro verificando propriedade de Itaporã (Foto: Divulgação)

Anterior – Neste mês, a Iagro havia constatado outro caso de raiva bovina, ocorrido em Itaporã, a 225 km de Campo Grande. A suspeita da doença foi confirmada após exames clínicos em um dos cinco animais mortos encontrados em uma propriedade rural da região.

Segundo o gerente de Inspeção e Defesa Sanitária Animal da Iagro, Rubens Castro Rondon, uma ocorrência similar ocorreu naquela mesma região em março de 2015. “Acreditamos que os casos tenham correlação devido ao raio de proximidade entre as duas propriedades em que se deram as ocorrências dos dois casos da doença”, apontou.

Na mesma região, houve outro caso em março de 2015. “Acreditamos que os casos tenham correlação devido ao raio de proximidade entre as duas propriedades em que se deram as ocorrências dos dois casos da doença”, disse o gerente de Inspeção e Defesa Sanitária Animal da Iagro, Rubens Castro Rondon, em matéria do governo do Estado .

Desta vez, devido à constatação da doença em Amambai, a agência da Iagro no município publicou comunicado aos produtores. “Esta agência ainda recomenda a vacinação contra raiva para todas as espécies de mamíferos neste município, sendo um alerta prioritário para as propriedades que margeiam o rio Amambai e seus afluentes. A vacina pode ser encontrada nas revendas veterinárias”, afirma a Iagro em trecho da nota.

Segue abaixo o comunicado na íntegra:

Vimos por meio deste informar que foram confirmados casos de raiva em herbívoros neste município e arredores. A Iagro está fazendo trabalhos de orientação nas propriedades pertencentes ao perifoco. Porém julga-se relevante fazer a divulgação de informações corretas por meio do Sindicatos Rural de Amambai à toda população de interesse.

A raiva é transmitida pelo morcego hematófago e acomete todas as espécies de mamíferos domésticos e selvagens, inclusive o homem, sendo letal na maioria dos casos. Os herbívoros inicialmente apresentam hiperatividade seguida de sintomatologia nervosa como transtornos locomotores, dificuldade de movimentação evoluindo para paralisia progressiva e morte.

Se forem observados animais com esses sintomas, a Iagro deve ser notificada para que possa fazer coleta de material para exames laboratoriais. Vale ressaltar que esse exame não tem custo para o produtor e que a suspeita ou diagnostico de raiva não ocasiona interdição da ficha sanitária, tampouco o sacrifício de animais sadios.

Esta agência ainda recomenda a vacinação contra raiva para todas as espécies de mamíferos neste município, sendo um alerta prioritário para as propriedades que margeiam o rio Amambai e seus afluentes. A vacina pode ser encontrada nas revendas veterinárias.

A Iagro coloca-se à disposição para os eventuais esclarecimentos que se fizerem necessários.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions