A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

25/05/2017 11:21

Morto em acidente de moto, Ferrari tinha pavor de andar sobre duas rodas

Viviane Oliveira e Marcus Moura
Esposa de Valdir Ferrari leva as mãos ao rosto assim que se deparou com o marido morto (Foto: Marcos Ermínio) Esposa de Valdir Ferrari leva as mãos ao rosto assim que se deparou com o marido morto (Foto: Marcos Ermínio)
Valdir tinha pavor de andar sobre duas rodas (Foto: reprodução/Facebook)Valdir tinha pavor de andar sobre duas rodas (Foto: reprodução/Facebook)

Dono de uma retifica no Jardim América, Valdir Ferrari, 57 anos, que morreu em acidente envolvendo a motocicleta que conduzia e um carro de passeio, na tarde de ontem (24), evitava pilotar moto porque tinha medo. 

O acidente aconteceu no cruzamento das ruas Nhambiquara com a Visconde de Suassuna, no Jardim Tijuca, em Campo Grande. O trecho não tem sinalização adequada. A batida foi tão forte, que Valdir sofreu TCE (Traumatismo Craniano Encefálico), fratura exposta na perna e quebrou o pescoço.

Segundo Maicon Ruiz, amigo e cliente da vítima há mais de 30 anos, Valdir tinha pavor de andar de moto. “Tinha medo de acidente. Ele só pilotava, quando não tinha outra alternativa. Ontem, por exemplo, havia saído para fazer cobrança e buscar uma peça. O carro dele estava parado na garagem com problemas mecânicos”, lamentou durante o velório nesta manhã.

As testemunhas que presenciaram o acidente, conforme Maicon, relataram que o motorista do automóvel seguia em alta velocidade e não parou no cruzamento. “Valdir era uma pessoa extremamente calma e carinhosa com a família”, disse.

Ao ficar sabendo do acidente, Maicon foi até o local e já encontrou o amigo morto. “No asfalto não havia marca de frenagem. Procurei, mas não encontrei nenhuma. A pancada foi forte. A família quer que o condutor seja responsabilizado pelo que fez”.

Segundo registro policial, testemunhas relataram que a vítima seguia na motocicleta, quando no cruzamento foi atingido por um Renault Clio, conduzido por Pedro Marcolino da Silva, 43 anos, que invadiu a preferencial. Ele foi encaminhado à delegacia para prestar esclarecimento. 

O corpo de Valdir está sendo velado em uma capela na 13 de Maio e deve ser sepultado por volta das 16h. 



Pouquíssimas pessoas sabem disso, aliás, numa sociedade local que dificilmente usa seta para conversões e menos ainda para mudança de faixa, não é de todo o espanto.

Pois bem, "Cruzamento não sinalizado, a preferência é de quem vem pela direita".

CTB
Art. 29. O trânsito de veículos nas vias terrestres abertas à circulação obedecerá às seguintes normas:
III - quando veículos, transitando por fluxos que se cruzem, se aproximarem de local não sinalizado, terá preferência de passagem:
c) nos demais casos, o que vier pela direita do condutor;
 
Gil em 25/05/2017 14:57:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions