A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 19 de Junho de 2018

12/02/2018 13:25

Carne Vale

Por Regis Machado (*)

Carne Vale é uma expressão latina que significa “adeus à carne”, em referência ao período da Quaresma que se aproxima, liturgicamente marcado pelo jejum e por outras penitências e sacrifícios. Consequentemente, meio que para tentar compensar a carência vindoura, não é de se estranhar que, durante essas festividades, as pessoas tenham acabado se acostumando a abusar da carne, dos doces, do álcool, dos desejos sexuais e de quaisquer outras coisas que possam vir a ser objeto das suas futuras abstenções.

Certas autoridades e políticos, no entanto, e apesar de não se absterem de fazê-lo ao longo do restante do ano, aproveitam esse período para abusar ainda mais da paciência e da passividade do povo brasileiro. A última veio do Diretor-Geral da Polícia Federal, que novamente se manifestou descabida e publicamente para defender o presidente na única investigação ainda pendente contra ele no Supremo Tribunal Federal (STF). Em entrevista à agência Reuters, Fernando Segóvia afirmou não haver indícios de que o decreto dos Portos, sancionado por Temer em maio de 2017,
tenha beneficiado a empresa Rodrimar, aventando, ainda, a possibilidade de punição do delegado encarregado do inquérito [1].

A festa, também, é marcada pela inversão geral das regras e das convenções do cotidiano. Aspessoas se fantasiam, rico se mistura com pobre, homem se veste de mulher. Por que não aproveitar, então, para desautorizar outros magistrados e mandar soltar presidiários? Essa foi a contribuição de Gilmar Mendes, “muso” multi-homenageado nessa época, ao conceder a liberdade ao ex-secretário de Saúde de Sérgio Cabral, Sérgio Côrtes, preso na Operação Fatura Exposta, desdobramento da Lava Jato no Rio. Afinal, como disse o próprio beneficiado, as “putarias têm que continuar” [2].

Se bem que, nesse quesito, como na Bahia, o Carnaval de Gilmar é o ano inteiro. Ele já havia concedido habeas corpus aos empresários Miguel Iskin e Gustavo Estellita, presos naquela mesma operação. Livrou, também, o ex-governador Anthony Garotinho, o ex-médico estuprador Roger Abdelmassih (que depois fugiu para o Líbano), o ex-banqueiro Daniel Dantas, entre outros casos ilustres. O empresário carioca Jacob Barata Filho, mais conhecido como “Rei do ônibus”, deve ter mais prestígio que o Rei Momo. Foi solto pelo Ministro três vezes seguidas [3].

Para todos esses abusos, só há um remédio possível. Passada a ressaca da folia, a população precisa limpar o glitter, despir sua fantasia de palhaço e encarar a realidade, o quanto antes. Para conseguir mudanças positivas no país, as pessoas terão que atuar juntas, conscientizando-se umas às outras e mobilizando-se para formar um bloco cada vez maior, mais organizado e mais coeso para lutarem por aquilo que querem. Sem pressão, nenhuma das pautas que efetivamente interessam ao Brasil, a exemplo de uma ampla reforma política, incluindo o fim do foro
privilegiado, vai avançar no Congresso. Daí, então, o cavaco não será o único a chorar...


(*)Regis Machado é auditor do Tribunal de Contas da União (TCU)


[1] https://veja.abril.com.br/blog/noblat/com-segovia- na-policia- federal-temer- nao-precisa- de-
advogado

[2] https://g1.globo.com/politica/noticia/gilmar-mendes- manda-soltar- sergio-cortes- ex-secretario-
de-saude- cabral.ghtml

[3] https://istoe.com.br/gilmar-mendes- concede-habeas- corpus-e- manda-soltar- anthony-
garotinho, https://pragmatismo.jusbrasil.com.br/noticias/134964236/o-maior- estupro-foi- feito-
por-gilmar- mendes-diz- vitima-de- adbelmassih, http://noticias.uol.com.br/ultimas-
noticias/agencia-estado/2017/12/01/pela- terceira-vez- gilmar-mendes- manda-soltar- empresario-
jacob-barata- filho.htm

Condução coercitiva e os aspectos jurídicos
Em que pese tratar-se de temática absorta pela legislação processual penal desde a década de 40 (especificamente 1942, quando da entrada em vigor do ...
A carne mais barata do mercado é a carne negra
Os números apresentados pelo Atlas da Violência de 2018 mostram a agudização nas tendências do perfil de assassinatos cometidos no Brasil: a vítima é...
O impacto da arte
Campo Grande foi agraciada neste fim de semana com um espetáculo de dança-teatro que, certamente, é digno de ser apresentado nas maiores cidades do m...
Promessas inviáveis
Nos próximos seis meses, assistiremos a três eventos: bons jogos de futebol, repetitivas eleições e promessas inviáveis. Os primeiros, em função da C...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions