A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019

10/11/2017 07:13

Como é trabalhar em uma startup

Por Herbert Marcondes (*)

O termo "startup" é cada vez mais comum no mercado. A palavra diz respeito a empresas que estão iniciando suas atividades, geralmente com ideias inovadoras ou reinventando algo que há muito já existe. São ideias que, quando entendemos, nos fazem questionar como ninguém havia pensado nisso antes. São empresas jovens, que têm o empreendedorismo em seu DNA, fomentam um perfil flexível e apostam em profissionais de fácil adaptação. Tudo isso, no entanto, gera uma dúvida: como é trabalhar em uma startup?

O dia a dia de quem trabalha em uma empresa jovem, que nasceu para desbancar modelos tradicionais de negócio, pode ser considerado uma montanha russa. Em um dia tudo vai bem e, no outro, você enfrenta turbulências. Se você não lida bem com riscos, talvez você precise repensar.

Outra característica que deve ser considerada está presente em todo guia de sucesso: pró-atividade. Pessoas que não são pró-ativas tendem a ter dificuldade com uma estrutura de gestão horizontal, como em uma startup, onde muitas vezes você é seu próprio chefe. Com isso, é correto afirmar que o profissional deve ter sede de conhecimento e possuir um perfil hands on.

Em contrapartida, trabalhar em uma startup faz com que o profissional desenvolva múltiplas habilidades. Isso acontece porque a estrutura é muito flexível e geralmente o quadro é enxuto, o que pode te levar a aprender tarefas diferentes e tomar decisões que, em empresas tradicionais, não estariam em seu escopo.

Além disso, a equipe reduzida e o perfil colaborativo levam a uma proximidade diferenciada com os colegas de trabalho. Todos se ajudam e procuram trabalhar em sintonia, o que cria um grande sentimento de família. Isso junto, é claro, a um ambiente descontraído, com muitos jovens, onde todos podem ficar à vontade. Afinal de contas, é bem melhor trabalhar de jeans do que de terno, não é mesmo?

Se você busca um ambiente desafiador, flexível, onde pode encontrar estímulo diário para se superar e aprender muito, mas saindo da zona de conforto, você precisa de uma startup na sua carreira.

(*) Herbert Marcondes é formado em Tecnologia em Marketing e com MBA em Gestão de Pessoas, Herbert Marcondes é Coordenador de Costumer Experience na DogHero, marketplace que conecta donos de cães a anfitriões. Herbert tem vasto conhecimento nas áreas de atendimento ao cliente e experiência do usuário. Foi Coordenador de Atendimento ao Cliente na Saraiva, onde foi responsável pela gestão dos canais de atendimento SAC e BackOffice do e-commerce e teve passagem pela Vivara, quando esteve à frente da gestão e desenvolvimento da equipe de relacionamento ao cliente.

 

As lições a serem aprendidas com o lago do Parque das Nações Indígenas
“Nesta terra molhada”, após 5 meses com inúmeras iniciativas, do governo e sociedade, o lago artificial do Parque das Nações está voltando a produzir...
Gestão pública é o caminho contra a corrupção
A corrupção é pré-requisito do desenvolvimento, já dizia Gunnar Myrdall, Prêmio Nobel de Economia, em 1974. Ou seja, esse mal é algo comum e enraizad...
A virtude da temperança
Não haverá Paz duradoura enquanto prevalecerem privilégios injustificáveis, que desonram a condição humana, pela ausência de Solidariedade, que deve ...
MS: Um novo salto de desenvolvimento
A história de Mato Grosso do Sul não é uma linha reta. Ela vem sendo escrita, no curso do tempo, por diferentes protagonistas, por meio de um caminho...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions