A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 24 de Junho de 2018

10/01/2018 13:35

Coragem!

Por Francisco Habermann (*)

Estava gostando da sequência festiva do final de ano quando as contas e cobranças começaram a chegar, já nos primeiros dias do ano. Um contraste inevitável entre o tão gostoso Bom Princípio de Ano desejado à mãos cheias e a rigidez das obrigações inadiáveis que a maioria enfrentamos. E o pior, quase sempre de mãos vazias. Mas, reflito agora, antes assim do que com o coração vazio, o que é muito mais grave em qualquer ocasião.

Digo assim, porque tive a felicidade de ver a sentença que foi promulgada nesse inicio de ano de 2018 por um inspirado juiz que optou em atender prioritariamente aos valores intangíveis do coração humano. Assim se expressou ele:
“É hora de extinguir, sem resolução do mérito, artigos processuais de desencantos;
De reconhecer ex-oficio a prescrição de velhos problemas;
De arquivar o que já foi resolvido, dando-lhe justo lugar na história;
De indeferir pensamentos negativos, deferir abraços e votos de felicidade.”

E determinou: “Distribuir”.

De minha parte, acatei como manda a lei. Fiquei feliz e divulgo a sentença final com a devida anuência do editor deste espaço público. Acrescento aos leitores, entretanto, um alerta e uma esperança.

Diante de tantas perspectivas que observo por aí, da enorme ansiedade dos brasileiros que batalham a vida toda para ter uma existência digna mas são vencidos pela indignidade, pela desonestidade, pela incúria, pelo mau exemplo dos superiores, pelas pesadas burocracias e cobranças impostas, ressalvo uma lembrança. É, antes, um aviso protetor do nosso jeito de ser tão badalado.

Quero lembrar a todos que não se desesperem, que não pensem que está tudo perdido, que tenham esperança. Sim, basta fazer pequenas contas e nem precisam se angustiar com as esquecidas fórmulas de cálculo integral para se obter a feliz resultante. Vejam que beleza (esse é o nome do autor – Dr. Beleza* - desta lembrança final):

“Amigos, daqui 40 dias é Carnaval, depois, mais 40 e já é Páscoa, daí, mais 60 dias é a Copa, depois de 120 dias é eleição e depois de mais 60 dias já é Reveillon de novo”.

Que cálculo integral, que nada, gente. Vamos lá. Coragem!

Ô, ô... skindô... skindô...!

(*) Francisco Habermann é professor da Faculdade de Mediina da Unesp de Botucatu (FMB). Contato: fhaber@uol.com.br. 

Os três pilares do aprendizado
A educação brasileira passa por um profundo processo de transformação com a implantação da nova Base Nacional Comum Curricular. Precisamos estar pron...
O país onde tudo é obrigatório
Nos Estados Unidos, na França e na Inglaterra, as regras ou são obedecidas ou não existem, por que nessas sociedades a lei não é feita para explorar ...
Universidade pública e fundos de investimento
  A universidade pública não é gratuita, mas mantida pelos recursos dos cidadãos. E por que a Constituição brasileira escolheu determinar esse tipo d...
Uma nobre atitude de cidadania e espiritualidade
A solidariedade é intrínseca à condição humana, um dever moral que vai além da dimensão religiosa, pois todos somos gregários e frágeis. A bondade é ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions