A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

11/04/2018 14:04

É possível melhorar, ainda mais, o leite oferecido às suas bezerras

Por Davi Brito Araújo

Produtores de leite que buscam maior eficiência no seu negócio sabem que é durante a fase de aleitamento que se inicia a construção de um rebanho leiteiro altamente produtivo. Uma taxa de crescimento adequada é alcançada nesta fase quando as exigências nutricionais das bezerras são supridas através de alimentos de alta qualidade. Para isso, é comum o fornecimento de leite, principal alimento neste período, de alto valor nutritivo, rentável e prontamente disponível.

Interessante, e ao mesmo tempo desafiador, é que de maneira geral, cerca de 60% das fazendas leiteiras alimentam suas bezerras com leite integral, e grande parte desses produtores usam o também conhecido como “leite-descarte” (leite não vendável para a indústria), no programa de aleitamento. Essa realidade é mais comum em regiões onde o uso do pasteurizador é utilizado, uma vez que a pasteurização permite eliminar bactérias e patógenos presentes no leite, importante para saúde e desenvolvimento animal, porém não corrige suas deficiências nutricionais. Dessa forma, mesmo com a qualidade sanitária atingida pelo processo de pasteurização, o desbalanço nutricional desse leite não assegura uma taxa diária de crescimento e condição de saúde ideal às bezerras.

É importante lembrar que mesmo sendo rentável, o uso de “leite-descarte” pode proporcionar alguns riscos na criação das bezerras já que usualmente o leite de vacas recém paridas (colostro) é rico em gordura e proteína e o leite de vacas com mastite apresenta menor concentração de sólidos e gordura. Essa variação dos nutrientes, combinada com o impacto da diluição por água oriunda da lavagem de equipamentos, torna a composição menos consistente, levando ao aumento do número de doenças gastrointestinais, principalmente a diarreia nas bezerras.

Como o “leite-descarte” não é totalmente balanceado para nutrição adequada das bezerras, esse desequilíbrio na relação gordura/proteína e a deficiência em várias vitaminas e minerais, inibe o crescimento muscular e limita a ingestão de alimentos sólidos, principalmente ração, que é crítica ao desenvolvimento do rúmen e o desleite adequado do animal.

Mas, como oferecer uma dieta nutricional correta e ao mesmo tempo rentável na fase de aleitamento?

Pensando neste desafio, a Cargill Nutrição Animal, com sua ampla experiência e conhecimento na área de bezerras e novilhas, desenvolveu o Nurture Corrector, uma solução que melhora a qualidade e consistência do leite oferecido as bezerras, proporcionando um programa nutricional mais adequado durante a fase de aleitamento. O Nurture Corrector consegue suprir as deficiências nutricionais do leite oferecido as bezerras, equilibrando a relação gordura/proteína, balanceando o conteúdo de sólidos e adicionando as vitaminas e minerais necessários. Além disso, o Nurture Corrector conta com a tecnologia NeoTec 4 que melhora a saúde intestinal do animal, reduzindo riscos de doenças e melhorando a taxa de crescimento, principalmente em momentos de alto desafio de estresse e manejo.

Para o uso ainda mais adequado da solução, a Cargill disponibiliza gratuitamente o aplicativo "Whole Milk Today", que auxilia o usuário no cálculo da quantidade ideal do Nurture Corrector, leite e água a serem utilizados na preparação. Para tanto, o usuário deve apenas inserir o número referente ao valor de BRIX do leite usando um refratômetro, e imediatamente o sistema faz os cálculos necessários para misturar o leite ideal para os animais.

Com a solução é possível combinar todo volume excedente de leite de descarte, com o melhor da tecnologia disponível e garantir um programa nutricional adequado e rentável. Nurture Corrector, leite corrigido, resultado garantido.

(*)Davi Brito Araújo, gerente de tecnologia de bovinos de leite da Nutron

Compliance: benefícios práticos nas empresas
Um dos principais patrimônios de uma organização é, sem dúvidas, sua reputação, que pode ter impacto tanto positivo como negativo nos negócios. Indep...
Um olho no peixe, outro no gato
O agro brasileiro poderia ser bem mais assertivo em sua comunicação com os mercados, aqui e no exterior. Falar mais das coisas boas que faz, seguindo...
Como transformar a nossa relação com a natureza?
Falar em meio ambiente não é algo abstrato. Se traduz no ar puro que respiramos, na água que bebemos e na fauna e flora que nos cercam. Somos depende...
Sem comunicação não há evolução
Os líderes do agronegócio hoje concordam que precisamos dialogar muito mais com a sociedade urbana, pois sem isso não teremos aderência nas necessida...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions