A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 19 de Novembro de 2017

25/01/2013 08:25

Evolução constante

Por Luiz Gonzaga Bertelli (*)

Com o mundo dos negócios cada vez mais competitivo, os profissionais que pretendem se destacar no trabalho não podem parar no tempo e acreditar que o diploma ¬ ¬– conquistado geralmente no começo da vida adulta – seja o suficiente para se manter e avançar na carreira. Na verdade, eles precisam estar em constante atualização para acompanhar as novidades tecnológicas e as novas demandas que os setores mais importantes da economia necessitam.

Por causa disso, uma modalidade de ensino vem crescendo nos últimos anos e ampliando as oportunidades de aprimoramento: o mestrado profissional. Diferentemente do mestrado acadêmico e do doutorado, que exigem dedicação exclusiva para a pesquisa, o módulo profissional pode ser realizado simultaneamente à atividade laboral. Portanto, são cursos mais próximos da realidade do mercado e tentam preencher as necessidades mais visíveis do mundo atual.

Os projetos concluídos nesse mestrado geralmente procuram trazer soluções a problemas reais do mundo corporativo e acabam chamando atenção das empresas, o que pode servir como um item sedutor no currículo. Por isso, cada vez mais, as próprias organizações apoiam seus colaboradores que investem em educação continuada e cursos com essas características. E, quanto mais a empresa apostar neste tipo de profissional, maior chance tem de reter seus talentos.

Em época de escassa mão de obra qualificada, a formação continuada é uma garantia de empregabilidade e sucesso na carreira. Quem passa por essa oportunidade só tem a ganhar. A atualização dos conhecimentos e a troca de informações com outros participantes do curso renova o ambiente de trabalho e traz benefícios adicionais para a empresa, geralmente acarretando maior produtividade, e consequentemente, aumento dos lucros.

Hoje já são mais de 400 programas de mestrado profissional que absorvem cerca de 10 mil alunos no país. Os dados crescem a cada ano, mostrando que é uma tendência irreversível ditada pela necessidade atual do mercado de trabalho no Brasil e no mundo.

*Luiz Gonzaga Bertelli é presidente Executivo do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), da Academia Paulista de História (APH) e diretor da Fiesp.

Imposto sindical e o fim da sua obrigatoriedade
O “imposto sindical”, assim denominado pela CLT no atual artigo 578, é uma contribuição obrigatória devida por todos aqueles que participarem de uma ...
Baile do desespero e do improviso
Quando começo uma visita hospitalar como palhaço, experimento um puro e sincero estado de desespero. Há 16 anos faço isso com certa frequência e, fel...
Carta aberta ao ministro Joaquim Barbosa
Em nome de milhões de brasileiros e brasileiras insisto na solicitação para que concorra à Presidência da República, em 2018. Precisamos de alguém co...
Qual é a diferença entre preço e valor?
Existe uma grande confusão entre os significados de valor e preço. São duas coisas completamente distintas no mundo das negociações. Quando se fala e...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions