A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Outubro de 2019

23/05/2013 10:15

Inércia do governo x empenho da sociedade civil

Por Sergio Guimarães (*)

Após quase um ano da publicação do novo Código Florestal, o governo federal ainda não conseguiu fazer vigorar os benefícios previstos na lei. A nova lei florestal estabelece programas de regularização e de incentivos econômicos, além da conversão de multas em serviços ambientais. Entretanto, ainda não há clareza sobre como tais programas vão funcionar, até porque muitas responsabilidades ficaram a cargo dos estados. Com isso, a tão sonhada segurança jurídica ainda não entrou em vigor.

De acordo com a nova lei florestal, os estados são responsáveis pela implantação do Programa de Regularização Ambiental (PRA), constituído do Cadastro Ambiental Rural (CAR), termo de compromisso, Plano de Recuperação de Áreas Degradadas e Alteradas (Prada) e Cotas de Reserva Ambiental (CRAs). Tanto estados quanto municípios podem fazer a inscrição no CAR das propriedades e posses rurais. Entretanto, para que o PRA seja efetivado, é necessário que a União defina as normas gerais para funcionamento do Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Sicar) e regulamente como será sua integração com o CAR estadual.

Além do PRA, há o desafio de fazer acontecer o programa de incentivos econômicos e, nesse cenário, a regulamentação federal é ainda mais incerta. Não há sinalização do Ministério do Meio Ambiente de como se dará a regulamentação da compensação de áreas de reserva legal por meio das CRAs. A CRA envolve um componente ainda muito deficitário no país: a regularização fundiária. Como implementar a servidão florestal em áreas com insegurança de comprovação de propriedade?

Diante do atual cenário de falta de transparência e inércia do governo federal na regulamentação da nova lei, está sendo lançado o Observatório do Código Florestal – uma iniciativa de diversas instituições da sociedade civil com o propósito de monitorar a implementação da nova lei, a partir da construção de indicadores que possam minimizar os retrocessos e potencializar as oportunidades.

A atuação do Observatório está centralizada em um arranjo institucional formulado pela parceria entre o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), o Instituto Socioambiental (ISA), o Instituto Centro de Vida (ICV), a Conservação Internacional (CI), o WWF-Brasil, The Nature Conservancy (TNC) e o SOS Mata Atlântica, que prevê a participação de diversos setores da sociedade através de uma plataforma aberta.

Para que a nova lei florestal entre efetivamente em vigor, será necessário muito mais do que apenas regulamentações construídas em gabinete. Um exemplo disso é a estruturação financeira dos estados e municípios, que não está sendo discutida.

A articulação entre os governos (federal, estadual e municipal), os setores empresariais e a sociedade será fundamental para mitigar dificuldades nesse processo. Mas é preciso que os governos estejam dispostos a abrir as portas e construir juntos com os ademais segmentos da sociedade uma regulamentação que garanta a conservação das florestas. Afinal, esta é uma lei florestal.

(*) Sérgio Guimarães é coordenador do Departamento de Políticas Públicas do Instituto Centro de Vida (ICV).

Antônio Baiano – Um Gigante
Roseli Marla, minha cunhada querida, neste momento de profunda tristeza que todos estamos vivendo com a morte prematura do nosso querido Antônio Baia...
Projeto de lei pretende punir quem ocultar bens no divórcio
Quem milita na área do Direito de Família está, infelizmente, mais do que acostumado a se deparar com inúmeros expedientes para fraudar o direito à m...
Internet, Vínculos e Felicidade
A cada dia estamos passando mais tempo em celulares e computadores. Tanto que muitas vezes, quando maratonamos seriados, até a televisão pergunta: "t...
Origem espiritual da Profecia
Em minha obra Os mortos não morrem, transcrevo estudos abalizados e relatos interessantíssimos sobre a realidade da vida após o fenômeno chamado mort...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions