A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

20/09/2017 12:52

Inteligência espiritual

Por Oscar Alejandro Fabian D Ambrosio (*)

Parece-me que há alguns estudiosos de psicologia que costumam misturar ciência com religião, duas atividades mentais bem distintas, com metodologias irreconciliáveis, pois a primeira está baseada no raciocínio lógico e na experimentação e a segunda na crença nas palavras de presumidos profetas ou na fantasia, o templo comum da religião e da arte.

Fiquei intrigado com a leitura do artigo "A inteligência que vem da alma" (Revista Bem Estar, Diário da Região, 17/-9-17), em que a jornalista Gisele Bortoleto relata a descoberta por neuropsicólogos norte-americanos daquilo que está sendo chamado de "Ponto de Deus" no cérebro humano. Se entendi corretamente, teriam encontrado conexões neurais específicas de um tipo de inteligência que eles denominam de "espiritual", porque viria da alma humana por um contato com o divino que estaria dentro de nós, independentemente de qualquer profissão de fé ou até de ateísmo.

A meu ver, não existe nada de natureza divina no ser humano, pois a inteligência é apenas um produto do cérebro, órgão do corpo humano que nos faz pensar e sentir, assim como o coração impulsiona nosso sangue. Evidentemente, o cérebro, como qualquer outro órgão, pode ser analisado cientificamente, encontrando-se diferentes fases ou tipos de atividade mental, na dependência de fatores genéticos e educacionais.

Poderíamos chamar de "espiritual" a inteligência de gênios e benfeitores da humanidade (grandes filósofos, cientistas, artistas) e dos mortais comuns que praticam o autoconhecimento, têm uma visão integrada da realidade e se preocupam com o bem estar da coletividade, convencidos de que ninguém pode progredir e ser feliz sozinho.

(*) Salvatore D' Onofrio é Dr. pela USP e Professor Titular pela UNESP.

Compliance: benefícios práticos nas empresas
Um dos principais patrimônios de uma organização é, sem dúvidas, sua reputação, que pode ter impacto tanto positivo como negativo nos negócios. Indep...
Um olho no peixe, outro no gato
O agro brasileiro poderia ser bem mais assertivo em sua comunicação com os mercados, aqui e no exterior. Falar mais das coisas boas que faz, seguindo...
Como transformar a nossa relação com a natureza?
Falar em meio ambiente não é algo abstrato. Se traduz no ar puro que respiramos, na água que bebemos e na fauna e flora que nos cercam. Somos depende...
Sem comunicação não há evolução
Os líderes do agronegócio hoje concordam que precisamos dialogar muito mais com a sociedade urbana, pois sem isso não teremos aderência nas necessida...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions