A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Outubro de 2019

02/05/2016 10:40

Maio Amarelo e o compromisso da coletividade com o trânsito seguro

Por Renan da Cunha Soares Júnior (*)

O laço na cor amarela traduz a atenção necessária que o assunto ‘trânsito’ exige, e a grande meta da década é reduzir em 50% o número anual de mortes no trânsito ocorridas no mundo até 2020, o que hoje beira 1,3 milhão de pessoas a cada ano.

Estamos vivendo, desde maio de 2011, a Década de Ação para a Segurança no Trânsito, capitaneada pela ONU (Organização das Nações Unidas) e pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

O movimento Maio Amarelo nos conecta a essa meta da década, soando o alerta de que é preciso ter atenção pela vida. Não somente dos órgãos do Sistema Nacional de Trânsito, que de ofício já se ocupam disso, mas de toda a sociedade. O uso do laço por todas as pessoas e entidades nos une num movimento de busca por um trânsito que presencie atitudes mais responsáveis e seguras, gentis e solidárias.

Nós somos o trânsito. Cada associação de bairro, escola, igreja, empresa, cada família deve somar. O que cada um de nós faz nele é muito importante e pode transformá-lo em vida plena. No ano passado, além dos governos estaduais e municipais, mais de 700 empresas e entidades brasileiras apoiaram o movimento e realizaram ações. Quase 300 cidades do Brasil se envolveram nessa causa

Os principais monumentos do Brasil como o Cristo Redentor (RJ), a Catedral de Brasília (DF), o Obelisco (MS) e o Elevador Lacerda (BA), por exemplo, foram iluminados em amarelo. No mundo foram mais de 20 países nos cinco continentes irmanados pela atenção à vida no trânsito, com mais de cinco milhões de laços amarelos distribuídos.

O mês de maio é fundamental para nos mostrar que é possível transformarmos essa realidade, e a agenda positiva proposta pelo movimento desde julho de 2014 trata de pontos fundamentais para que a atenção continue presente em todos os meses do ano.

Foram inúmeras caminhadas, palestras, vídeos, adesivagens, iluminações de monumentos e fachadas, abordagens educativas no trânsito impactando milhões de pessoas. Vamos nos preparar para o maio vindouro, pois somente a união de forças é capaz de fazer um trânsito melhor como vem sendo demonstrado em Campo Grande, desde 2011, com a diminuição do número de óbitos.

É preciso acreditar que uma outra realidade é possível. Chegou a hora de pensarmos no que cada um de nós pode fazer para que cada dia mais o trânsito possa significar vida em movimento. Coloque o seu laço e faça parte dessa iniciativa de atenção pela vida!

(*) Renan da Cunha Soares Júnior é psicólogo, coordenador do curso de Psicologia da UCDB e Embaixador do Movimento Maio Amarelo em MS

Um olho no peixe, outro no gato
O agro brasileiro poderia ser bem mais assertivo em sua comunicação com os mercados, aqui e no exterior. Falar mais das coisas boas que faz, seguindo...
Como transformar a nossa relação com a natureza?
Falar em meio ambiente não é algo abstrato. Se traduz no ar puro que respiramos, na água que bebemos e na fauna e flora que nos cercam. Somos depende...
Sem comunicação não há evolução
Os líderes do agronegócio hoje concordam que precisamos dialogar muito mais com a sociedade urbana, pois sem isso não teremos aderência nas necessida...
A Ciência e o desenvolvimento: o óbvio que deve ser lembrado
Um país só se desenvolve se tiver ciência sólida que se transforme em tecnologia empregada pelo setor produtivo. Isso tem sido sobejamente demonstrad...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions