A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019

21/02/2018 08:51

O papel da família na inserção da criança na escola

Por Roberta Somensi Sganderia (*)

O início do ano letivo é vivenciado de maneiras diferentes, de acordo com a faixa etária de cada estudante.

Para crianças menores, que iniciam a jornada educacional, tal novidade pode ser desafiadora, causar medos e inseguranças. Para os pais, também é uma importante adaptação.

O período de inserção da criança na escola é um tempo de aprendizagem importante, tanto para a criança quanto para a família. Os primeiros dias de aula são os mais desafiadores, mesmo para aqueles que já frequentavam a escola, pois a cada recomeço há uma nova superação.

A adaptação é das crianças - que chegam a um espaço novo, vivendo uma nova fase -, mas também dos pais - que geralmente sofrem com a ansiedade, embora saibam da importância desse momento e, principalmente, que é necessário permitir aos filhos experiências desafiadoras, a fim de que a autonomia seja conquistada.

A chegada da criança à escola marca um dos mais importantes momentos de sua vida, pois ela passará a viver também num contexto fora de sua zona de conforto, ou seja, é a primeira experiência em outro órgão social além da família.

Vendo-se diante de um ambiente coletivo com regras diferentes das de casa, é possível que a criança resista, geralmente manifestando essa resistência com choro. Nessa hora, o papel da família é essencial. Por isso a despedida dos pais ou responsáveis deve ser breve, de forma afetiva e segura.

É aconselhável que, ainda em casa, as famílias conversem com a criança sobre o assunto. Se, mesmo assim, ela insistir, deve ser lembrada do acordo estabelecido, com tranquilidade, pois despedir-se transmitindo confiança é fundamental nessa etapa, uma vez que as crianças são muito atentas e percebem se o adulto não está seguro para deixá-la na escola.

É notável que o choro sensibilize a todos nós e faz parte da vida, porém, precisamos aprender a enfrentar as situações de forma tranquila, entendendo que esse processo faz parte do desenvolvimento.

Aos poucos, a criança vai se habituando à nova rotina longe dos familiares - que até então eram sua única referência - e passa a criar vínculos com as professoras e colegas.

O período de inserção é exatamente isso. Um tempo de descobertas, de se conhecer, de encontros e reencontros que marcam a passagem de uma nova fase na vida da criança.

Ao decorrer do ano letivo, o medo dá lugar às descobertas e às pequenas conquistas do dia a dia. O desenvolvimento da criança trará alegria à família, oportunizando um crescimento saudável, que envolve relacionamento social, aprendizado e segurança para pais e filhos.

(*) Roberta Somensi Sganderla é pedagoga e coordenadora da Educação Infantil no Colégio Marista São Francisco, em Chapecó (SC).

Origem espiritual da Profecia
Em minha obra Os mortos não morrem, transcrevo estudos abalizados e relatos interessantíssimos sobre a realidade da vida após o fenômeno chamado mort...
As mulheres e Einstein
Fato incomum: 1.900 mulheres discutindo agronegócio, de questões mercadológicas a tendências de tecnologia, sustentabilidade, gestão, diplomacia ambi...
A humanidade e o poder
Para enfrentar a limitação de recursos da natureza, os humanos têm que superar o egoísmo e encarar a vida com seriedade e solidariedade, estabelecend...
Diálogo de surdos
Imaginem a cena: um professor que repete, repete, repete, sempre da mesma forma, um mesmo conteúdo, em diversas classes, imaginando ter feito a parte...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions