ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Além de recomendar testagem, TCE irá acompanhar vacinação da Coronavac

Equipe da Divisão de Fiscalização da Saúde do TCE irá acompanhar, in loco, o funcionamento da imunização

Por Silvia Frias | 13/05/2021 11:17
Plano de vacinação avança conforme a chegada de doses em Campo Grande (Foto: Paulo Francis)
Plano de vacinação avança conforme a chegada de doses em Campo Grande (Foto: Paulo Francis)

O TCE/MS (Tribunal de Contas do Estado de MS) designou equipe da Divisão de Fiscalização de Saúde do órgão para acompanhar o processo de vacinação em Campo Grande. A medida é complementar ao requerimento enviado à prefeitura, que pede a testagem de eficácia dos que receberam a vacina com atraso.

Este acompanhamento in loco não é o caminho usual adotado pelo TCE. De acordo com assessoria, o padrão é aguardar a resposta da prefeitura, feita por meio de documentos enviados ao tribunal.

Neste caso, por conta da emergência da situação, a equipe foi designada pelo conselheiro Osmar Jerônymo, relator das contas de Campo Grande, para o “acompanhamento em tempo real”, segundo informações da assessoria do tribunal.

O grupo poderá ir até a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) pedir informações de como está sendo feita a vacinação, quais grupos estão sendo beneficiados, quais critérios estão sendo adotados e como está a atraso na vacinação da Coronavac. O objetivo é identificar eventuais problemas neste plano ou se é efeito direto somente do atraso das remessas via governo federal.

Este grupo irá abastecer, em tempo real,o conselheiro das informações sobre o plano de vacinação. Somente a partir daí é que outra medida pode ser tomada, sendo a última medida penalidade como multa ou impugnação, o que somente ocorre em situação extrema.

Espera – Ontem, a conselheiro encaminhou a recomendação para o município testar as pessoas que receberam a 2ª dose da Coronavac com atraso. A bula da Coronavac sugere intervalo de 14 a 28 dias, mas estudos preliminares indicam prazo de 10 dias de tolerância.

Até ontem, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) não tinha os números de quantos campo-grandenses se enquadram nesta situação. Mas o Estado já contabiliza ao menos 5,2 mil imunizados com Coronavac em Mato Grosso do Sul têm registro do tempo de aplicação entre 1ª e 2ª dose muito além do que é considerado adequado.

A reportagem entrou novamente em contato com a assessoria da Sesau para saber quantas pessoas se enquadram nessa situação e se a prefeitura está ciente da recomendação e ainda aguarda retorno.

Sobre o atraso, a Sesau informou que não há comprovação científica em relação a perda da eficácia da vacina, caso o prazo de 28 dias para a segunda dose seja extrapolado. "A orientação do próprio Ministério da Saúde, é para que as pessoas tomem a segunda dose quando disponível, independente do período. Essa orientação ocorre diante da indisponibilidade de imunizantes, o que reflete não só em Campo Grande, mas em todo o País", divulgou.

De acordo com a secretaria, a continuidade da aplicação da 2ª dose está condicionada ao recebimento de mais vacinas do Ministério da Saúde e o calendário leva em conta a quantidade de doses disponíveis e o número de pessoas a serem contempladas.

A assessoria do TCE informa que ainda não recebeu resposta da prefeitura sobre o requerimento.

Hoje à noite deve chegar novo lote de Coronavac a Campo Grande. A previsão é que sejam 26,4 mil doses do imunizante, 600 a menos do anteriormente anunciado pela SES (Secretaria Estadual de Saúde), doses que irão abastecer todas os municípios de MS. A remessa inclui, ainda, 24,5 mil doses de AstraZeneca.

Esse é o 21º lote recebido pelo Estado, com previsão de chegar no Aeroporto Internacional de Campo Grande por volta das 18h30. As unidades de Coronavac vão atender apenas aplicações de segunda dose (a chamada D2).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário