A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Outubro de 2019

06/10/2019 10:30

Campanha de vacinação contra sarampo terá "Dia D" em duas etapas

Campanha será lançada oficialmente amanhã em MS, com presença do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

Silvia Frias
Para esta campanha, secretaria alerta para dose zero na tríplice viral (Foto/Divulgação)Para esta campanha, secretaria alerta para "dose zero" na tríplice viral (Foto/Divulgação)

A campanha nacional de vacinação contra sarampo será lançada amanhã (7), em Campo Grande, com presença do Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. A imunização será feita em duas etapas, de 7 a 25 de outubro e, posteriormente, de 18 a 30 de novembro.

O lançamento oficial será na Escola de Saúde Pública Dr. Jorge David Nasser. Na primeira etapa, em outubro, serão vacinadas as crianças de seis meses a até cinco anos de idade. O “Dia D” foi marcado para dia 19 de outubro.

Na segunda fase serão imunizados adultos na faixa de 20 a 29 anos de idade, sendo que o “Dia D” será em 30 de novembro. A meta é atingir pelo menos 95% de cobertura vacinal de rotina, de forma homogênea, do público-alvo a ser vacinado.

Durante a campanha nacional de vacinação de 2018, Mato Grosso do Sul atingiu 99,63% de cobertura vacinal contra o sarampo, imunizando 157.502 crianças.

Cuidados - para esta campanha, a Secretaria de Estado de Saúde faz diversas recomendações, entre elas a de que devido à situação emergencial do sarampo, as crianças na faixa etária de seis meses até 11 meses e 29 dias devem receber uma dose da vacina tríplice viral (dose zero) e essa dose não será validada para a rotina.

Nesta situação, deve-se agendar a dose “um” a partir de 12 meses de idade, considerando o intervalo mínimo de 30 dias entre as doses. As crianças na faixa etária de 12 meses a menores de cinco anos de idade, devem ter duas doses da vacina para serem consideradas com esquema vacinal completo.

Outro alerta é que as vacinas tríplice viral e dupla viral deverão ser administradas de forma seletiva, conforme o Calendário Nacional de Vacinação, sendo duas doses de 12 meses a 29 anos de idade, respeitando-se o intervalo de 30 dias entre as doses.

A administração da vacina deve ser adiada nas seguintes situações: em doenças agudas febris moderadas ou graves recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro, com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions